Mulher com câncer recusa quimioterapia, prometendo vencer doença com vitaminas e vegetais

Para a surpresa dos médicos e da família, ela desafiou qualquer tipo de tratamento médico, optando por comer vegetais crus e tomar suplementos vitamínicos em uma tentativa de prolongar sua vida

Uma jovem mãe de duas crianças, recusou o tratamento de câncer de mama no Sistema Britânico de Saúde e embarcou em uma tentativa de curar-se do problema com remédios de ervas e uma dieta de alimentos crus.



Kelly Logan, de Essex, na Inglaterra, foi diagnosticada com o câncer de mama apenas cinco meses depois de descobrir um caroço no peito. A mulher de 34 anos ficou devastada ao saber que ela precisaria fazer uma cirurgia de emergência, além de quimioterapia e radioterapia, se quisesse sobreviver.

Para a surpresa dos médicos e da família, ela desafiou qualquer tipo de tratamento médico, optando por comer vegetais crus e tomar suplementos vitamínicos em uma tentativa de prolongar sua vida sem agredir tanto seu corpo.

“Eu não quero perder a minha mama e receber a quimioterapia. As pessoas têm me chamado de egoísta, porque eu estou recusando todos os tratamentos realizados no SNS (Sistema Nacional de Saúde da Inglaterra), mas não me importo”, disse ela, que também obteve melhores condições físicas após o novo hábito. “Graças ao meu novo regime alimentar e exercícios físicos, agora me sinto mais saudável do que nunca. Ser diagnosticado com câncer de mama em uma idade tão jovem é de partir o coração, mas eu estava mais horrorizada com a quimioterapia do que com o câncer em si”, completou.

Logan sempre foi contra tratamentos de quimioterapia invasivos que visam curar o câncer. "Eu notei que os médicos são muito tendenciosos ao tratamento convencional. Um dos meus amigos tinha câncer, mas ele morreu ao receber a quimio, que tornou seu sistema imunológico baixo. Além disso, a ideia de perder o meu cabelo me aterrorizava, bem, eu não queria parecer uma doente de câncer”, relatou.

Kelly resolveu, então, pesquisar tratamento alternativos online, e descobriu sobre os remédios variados a base de ervas. "Eu já não comia carne ou peixe e vivia, 90 por cento, da dieta de vegetais crus, legumes e sucos de frutas", contou.

No entanto, os especialistas alertam que não há evidências de que terapias alternativas possam curar o câncer, interromper sua propagação ou amenizar o crescimento do tumor.

Sue Green, enfermeira sênior de desenvolvimento de informações do Macmillan Cancer Support, disse: "Usar remédios à base de plantas, em vez do tratamento do câncer tradicional é considerada uma forma de terapia alternativa. Não há terapias alternativas provadas, capazes de curar o câncer ou retardar seu crescimento. O Macmillan Cancer Support não defende o uso desse tipo de método”.

Kelly monitora o tamanho do nódulo em seu peito diariamente, com marcações. "Meu câncer de mama é o carcinoma ductal e médicos acham que ele está ligado a uma infecção que eu peguei durante a amamentação", explicou Logan, que faz um ultrassom em seu peito a cada três meses, mas não pretende aceitar o tratamento médico, mesmo que o câncer comece a crescer rapidamente.

Ela sente que está tomando sua vida em suas próprias mãos e quer que os outros façam o mesmo. "Eu me sinto melhor do que nunca, as pessoas sempre dizem que eu pareço bem demais, considerando que eu tenho câncer, mas é porque eu não tenho sido bombardeada por drogas. Eu consumo várias vitaminas para ajudar a manter o meu sistema imunológico. Não estou procurando por uma cura milagrosa, mas eu sinto que eu posso manter minha vida tão normal, seguindo o meu próprio plano de tratamento de desintoxicação”, disse.

Logan chegou a criar um blog para documentar sua jornada e está escrevendo um livro eletrônico, em uma tentativa de fornecer dicas de dieta e remédios à base de plantas para o combate ao câncer. “Eu sei que muitos vão discordar de minha escolha de autocura, mas há muitas pessoas que fazem e é incrível o apoio que tive de completos estranhos. Espero que a minha história dê aos outros a força necessária para tomar suas próprias decisões de tratamento de câncer com base no que elas querem, e não no que os médicos acreditam ser o melhor”, finalizou.

Independentemente de qualquer coisa, o conselho geral do médicos é de que as pessoas procurem tratamentos especializados e realizem exames com frequência. A atitude de Logan é vista como algo muito perigoso, podendo colocar sua vida em uma “viagem sem volta”.

 

Fonte: DailyMail