Paciente do primeiro transplante de pênis volta a fazer sexo

Ele recebeu o pênis de um homem que teve morte cerebral.

O sul-africano de 21 anos que recebeu o primeiro transplante de pênis bem-sucedido do mundo, há cinco semanas, já faz sexo com a namorada. O médico e professor Frank Graewe, que fez parte da cirurgia de nove horas, disse que o paciente “tem ereções de boa qualidade, ejacula e faz sexo frequentemente com sua parceira”.

Agora, os médicos estão apelando por mais doações do tipo, para que outros homens possam ter o mesmo benefício. O sul-africano (que não teve o nome revelado) perdeu o pênis três anos atrás, em uma circuncisão problemática — estima-se que são feitas 250 amputações de pênis todos os anos na África do Sul em decorrência de problemas com circuncisões. Ele recebeu o pênis de um homem que teve morte cerebral.

Graewe disse ao “Daily Mail” que o paciente recebeu o novo órgão “como seu” e acrescentou que o tônus da pele do doador era semelhante à do receptor do pênis. “Nunca será 100% similar, porque mesmo com indivíduos de mesma cor de pele, a compleição difere”, disse o médico.

Dez anos atrás um chinês recebeu um transplante de pênis, mas pediu que os cirurgiões removessem o pênis doado duas semanas após a operação.

O professor Andre van der Merwe, que conduziu a equipe cirúrgica no Hospital de Tygerberg, na Cidade do Cabo, na África do Sul em 11 de dezembro do ano passado, passou anos praticando este tipo de cirurgia em cadáveres para ver quais nervos, vasos sanguíneos e outros elementos tinham que ser conectados para garantir total funcionamento do órgão.

“O objetivo era que ele estivesse totalmente recuperado em dois anos. Ficamos surpresos com a recuperação tão rápida”, disse van der Merwe, chefe do departamento de urologia da Universidade de Stellenbosch.

Fonte: Globo.com