Pesquisa aponta que 'hormônio do amor' tem mesmos efeitos do álcool

Pesquisadores da Birmingham University acabam de confirmar.

Sabe aquelas besteiras que você faz quando está apaixonado e, depois que o amor acaba, te fazem se questionar se você estava bêbado?

'hormônio do amor'

Pois então... Pesquisadores da Birmingham University acabam de confirmar: amor e álcool são coisas muuuuito parecidas.

De acordo com o estudo, publicado na Neuroscience and Biobehavioral Reviews, beber uma taça de vinho provoca os mesmos efeitos de uma LoUcA pAiXãO.

Isso acontece graças à ocitocina, hormônio associado ao afeto e à empatia. Após revisarem uma série de estudos sobre a ocitocina e o álcool, os pesquisadores descobriram que, embora afetem diferentes receptores cerebrais, as duas substâncias disparam os mesmos efeitos em regiões do cérebro como o córtex pré-frontal e o sistema límbico, associados ao comportamento social e às emoções.

De acordo com os pesquisadores, tanto a ocitocina quanto o álcool deixam as pessoas mais confiantes. "A ideia de beber algo para enfrentar situações sociais embaraçosas existe porque o álcool derruba os obstáculos do medo e da ansiedade. A ocitocina parece refletir esses mesmos resultados no laboratório".

Isso não significa, porém, que a ocitocina possa ser livremente consumida por aqueles que precisam de coragem. Assim como o álcool, a ocitocina tem efeitos colaterais nada agradáveis. Ela está ligada à agressividade e à possessividade, e pode afetar nossa percepção em relação ao medo, fazendo com que nos coloquemos em situações de risco.

"Não acredito que haverá um tempo em que a ocitocina seja usada socialmente, como uma alternativa ao álcool. Mas é um composto neuroquímico fascinante e, fora dos assuntos do coração, pode ser utilizada em distúrbios psicológicos e psiquiátricos", afirmou Steven Gillespie, um dos pesquisadores, em comunicado escrito.

Fonte: Com informações do Brasil Post