Pesquisa revela que uma em cada cinco pessoas que sofrem de acne pensam em suicídio

A nova pesquisa revelou o impacto que a condição de pele tem na autoestima e confiança das pessoas.

Um especialista divulgou um alerta sugerindo que a saúde mental de quem sofre de acne deve ser levada muito a sério, após uma pesquisa revelar que um quinto das pessoas que sofrem do problema já pensou em suicidar.

A nova pesquisa revelou o impacto que a condição de pele tem na autoestima e confiança das pessoas.

Mais da metade delas – que sofrem do problema – (56 por cento) tem sido vítima de abuso verbal de amigos e familiares, enquanto uma em cada cinco culpam a condição pelo fim de um relacionamento. A pesquisa, encomendada pela Fundação Britânica de Pele, também revelou que 10 por cento das pessoas que vivem com a condição acreditam que foram demitidas injustamente do trabalho por causa da acne.

A gravidade pode variar de algumas manchas no rosto, pescoço, costas e peito, a um problema mais grave, que pode causar cicatrizes e impactos na autoconfiança da vítima.

O médico dermatologista e porta-voz da Fundação Britânica de Pele, Anjali Mahto, que alertou sobre o problema, disse: “Não estou surpreso de ouvir que a acne pode ter um efeito tão profundo sobre todos os aspectos da vida de alguém. Eu acho que esses resultados destacam que a acne deve ser levada muito mais a sério e tratada.”

Ele afirma que a condição é muitas vezes “esquecida”, piorando o problema. O especialista acrescentou que a fundação existe para ajudar a contornar o problema.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Gadoo