Projeto quer incentivar as mulheres a perder o medo da hora do parto

É como as fotos heroicas de soldados no campo de batalha ou jogadores de futebol após a partida, ainda cheios da adrenalina da conquista.

Um projeto fotográfico persuasivo que mostra mães com seus bebês de um dia de idade quer tranquilizar gestantes, mostrando a elas que não é preciso ter medo do parto.

“Quando me tornei mãe, comecei a sentir a responsabilidade de dizer as grávidas: ‘Você vai ficar bem’”, diz Jenny Lewis, a fotógrafa responsável pelo projeto One Day Young (Um Dia de Idade). Jenny é mãe de Ruby, 8 anos, e Herb, 6.

“Porque parece que a gente só ouve falar de tudo que pode dar errado no parto.”

“Antes de ter minha primeira filha, eu nunca tinha ouvido histórias positivas sobre dar à luz. Quando eu pensava em parto, só pensava em hospital e peridural. Não passava pela minha cabeça que o parto pudesse ser algo que você curte.”

Mas isso tudo mudou quando uma amiga deu a Lewis um livro sobre uma parteira americana chamada Ina May Gaskin.

“O livro era composto de relatos sobre as mulheres que ela ajudou no parto”, explica Lewis. “Essas mulheres estavam bem; elas aceitavam as contrações e conseguiam controlar o medo. Senti uma mudança mental em minha compreensão sobre o que é dar à luz.

Poucas pessoas dizem ‘sabe de uma coisa? Para mim, dar à luz foi um tipo de prazer. Foi empoderador. Foi a melhor experiência de minha vida.” Você nunca ouve essa voz, mas ela está ali fora. Não quero negar as experiências das mulheres que sofrem no parto. Mas essas vozes precisam ser balanceadas, para refletir os dois lados da história.

Eu quis ajudar a levar essa outra história ao mundo. Uma história com que as pessoas pudessem topar meio que por acaso, como eu fiz com Ina May. Que pudesse mudar seu ponto de vista e diluir um pouco do medo.

Eu quis captar aquele momento depois do parto e mostrar que as mulheres ainda são elas mesmas. Achei que uma imagem seria mais poderosa que palavras tranquilizadoras, porque não dá para não acreditar em algo que você vê fisicamente.” E assim nasceu seu projeto Um Dia de Vida.

Todas as mulheres que aparecem nas fotos responderam a um post na página de Jenny no Facebook ou a folhetos que ela distribuiu por lojas e colou em postes no bairro de Hackney, em Londres, perguntando: “Alguém quer fazer uma foto de graça?”

"Depois das primeiras sessões de fotos, pensei: ‘Isto daqui é realmente algo especial’”, contou Jenny. “A química na sala é incrível. O ambiente fica eletrizado com a energia da mulher.

Nas primeiras 24 horas essa energia é abrangente. As mulheres estão dominadas pelo amor, e os olhos dela estão cheios de emoção. Eu quis captar aquele momento antes de as preocupações do dia a dia delas ir voltando a se manifestar. Como fotógrafa, é uma grande honra poder captar esse momento.”

As fotos da coleção de Jenny mostram mamães que deram à luz há um dia. São mulheres de origens e idades diferentes, mas uma coisa que todas têm em comum é a força.

“É como se uma guerreira se manifestasse na mulher nas primeiras 24 horas depois do parto”, diz Jenny. “Ela ganha essa força interior para proteger seu filho, e isso se percebe nas fotos.

É como as fotos heroicas de soldados no campo de batalha ou jogadores de futebol após a partida, ainda cheios da adrenalina da conquista. Esse momento na vida das mulheres não costuma ser captado com frequência, mas o que elas acabam de realizar é tão importante quanto aquele gol ou aquela batalha. Esse momento merece ser registrado e festejado publicamente.

Não é apenas mais um nascimento, não é apenas mais uma mulher. Cada imagem é a vida delas, a história delas. Todo o mundo tem seus problemas, mas naquele momento as mulheres conseguem deixar tudo de lado e se nivelam. Posso estar fotografando uma mulher numa mansão ou num abrigo, não importa: a expressão em seus olhos é mais ou menos a mesma. Ela está orgulhosa.”



Fonte: Brasil Post