Relógio mostra que o fim do mundo está cada vez mais próximo

Perigo nuclear e mudanças climáticas estão entre os fatores

Um grupo de cientistas renomados criou o relógio Doomsday, em 1947, conhecido também como Pêndulo do Apocalipse, que seria um indicador universal da vulnerabilidade do mundo frente a uma catástrofe, as alterações climáticas e as tecnologias emergentes. Cada vez que ele é adiantado, significa que o mundo está mais perto do fim.

A última vez que isso aconteceu foi em janeiro do ano passado, quando o relógio foi adiantado para 23h57. Agora, acredita-se que um novo Boletim dos Cientistas Atômicos poderá adiantar novamente o relógio.

A ameaça das armas nucleares ainda é um dos maiores fatores que podem levar ao fim do mundo, segundo os cientistas. Esse fator foi ainda mais agravado após o suposto teste com bomba H feito pela Coreia do Norte.  

Um dos conselhos dados pelos cientistas é a necessidade de deixar de lado a corrida armamentista. O aquecimento global é responsável por danos generalizados e é preciso reduzir significativamente os níveis de emissões de gás estufa.

Atualmente, o número de emissões é 50% superior aos anos 90 e é provável que esse nível aumente ainda mais até o final do século. As emissões de gás estufa poderão alcançar os 3,8 graus na escala Celsius.

Desde a sua criação, o relógio já foi ajustado 18 vezes, mudando desde dois minutos para a meia noite em 1953, até 17 minutos em 1991.

Image title

Image title



Fonte: Com informações do R7