Repórter de TV é demitida após ser expulsa de bar e xingar policial

Visivelmente alterada, Coleen saiu da balada vociferando.

A repórter americana de TV Colleen Campbell, de 28 anos, assistia a um show de comédia stand up em um bar quando foi retirada do local por seguranças. Os funcionários alegaram que a jornalista estava atrapalhando a apresentação, rindo alto demais e falando muito enquanto o humorista contava suas piadas no palco. Na porta, Colleen arrumou confusão com um policial. Ela o xingou, cuspiu em outro homem e foi algemada. Um pedestre filmou a cena, ocorrida no último domingo (4), e o vídeo vazou. A repórter foi demitida da emissora onde trabalhava, a PHL17, na Filadélfia, no estado da Pensilvânia (EUA)

Visivelmente alterada, Coleen saiu da balada vociferando contra o lugar. Reclamava que não estava fazendo nada demais durante o show do comediante Craig Robinson. Seguranças a levaram à força até a porta. No caminho entre a mesa e a saída do Helium Comedy Club, na Filadélfia, funcionários relatam que a moça brigou com os seguranças. Colleen repetia que estava apenas se divertindo. Até que apareceu a polícia.

Ela foi então algemada pelo policial. Resistiu, resmungando sem parar e iniciou em seguida um verdadeiro barraco na frente do local. Chamado pelo estabelecimento, o oficial  foi tentar acalmar a jornalista. Ela se exaltou ainda mais quando o guarda se aproximou. "Vocês não passam de uns ditadores", insultou ela. O vídeo da confusão com a repórter foi postado no Facebook e teve mais de 2 milhões de visualizações. Depois que o guarda a algemou, a moça ficou ainda mais nervosa: "Não estava perturbando ninguém lá dentro. Ria como qualquer um da plateia”. Ela então apelou e xingou o guarda: "Seu #@#%&%&!*

Mas ela continuou xingando contra o oficial: "Por isso que ninguém gosta dos policiais daqui”. Em seguida, a repórter cospe em direção a um funcionário da casa.

Acabou presa acusada de ofender o policial, resistir à prisão e provocar desordem pública. A polícia também acusa Colleen de agressão. Após a delegacia, ela também foi levada a um hospital. Uma médica receitou um remédio para ela se acalmar. Depois que o vídeo vazou, a emissora anunciou, na segunda (5), que tinha desligado a jornalista da empresa.

Ela deletou suas contas nas redes sociais. "Estava recebendo ameaças de gente que nunca vi nem conversei na vida", explicou. Escreveu, antes, um comunicado no Facebook dizendo que "tinha bebido um pouco". Sugeriu também que fora drogada no bar — alguém, segundo ela, teria colocado uma substância na bebida dela. Collen desmentiu depois essa afirmação: "Me recusei a fazer testes porque queria ir logo para casa. Já tinha sido fichada”.

Ela deu entrevistas, no dia seguinte, a jornais locais e se retratou: "Não sou essa pessoa. Estava alterada. Bebi demais aquele dia. Não me comporto assim porque não fui educada para agir dessa maneira. Me sinto envergonhada, por mim e pela minha família. Foi um vexame. Me sinto horrível depois de rever tudo o que aconteceu. Queria pedir desculpas ao policial pelo ocorrido", completou.

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Fonte: Com informações do R7
logomarca do portal meionorte..com