Saiba quais são os dez alimentos que devem ser evitados antes do sexo

Beliscar uns queijinhos com o parceiro, por exemplo, pode ser uma má ideia: latícinios em geral matam a libido, e ainda podem deixar o intestino congestionado.

A pedido, a nutricionista Elouise Bauskis listou algumas comidas que, por incrível que pareça, podem prejudicar quem planeja uma noite de sexo. Beliscar uns queijinhos com o parceiro, por exemplo, pode ser uma má ideia: latícinios em geral matam a libido, e ainda podem deixar o intestino congestionado.


Assim como comidas processadas em geral, o cachorro-quente é um inimigo da libido. Entre um dos efeitos de comida altamente processada, está o congestionamento das artérias vaginais e penianas.


Outra comida altamente processada, batatas fritas têm um alto índice glicêmico, o que indica que a energia deste prato é rapidamente dissipada no corpo. Por isso, se incialmente elas podem dar uma sensação de conforto, pouco depois ela pode deixar você se sentido em baixa.


Balas de alcaçuz reduzem os níveis de testosterona, o que prejudica o desejo sexual tanto em homens quanto mulheres.


Tofu e produtos à base de soja contêm fitoestrogênios, que, uma vez consumidos em excesso, podem diminuir os níveis de testosterona.


Melhor pensar de novo antes de marcar um encontro na churrascaria. Se para algumas pessoas a carne pode fornecer energia, nos que não fazem a digestão tão bem, ela pode pesar e dar uma sensação de letargia.


Tão querido pelos brasileiros, o feijão pode fazer com que algumas pessoas tenham flatulências. Na dúvida, melhor evitar.


A aveia pode até ajudar a diminuir o nível de estresse, mas, como grande fonte de fibras, também pode provocar flatulências.


Energéticos em geral são recheados de açúcar e corantes. Qualquer boost de energia fornecidos por essas bebidas não tende a durar muito, defende a nutricionista.


O brócolis é outro alimento que pode provocar flatulências. Mas, em sua defesa, ele também pode ajudar a controlar o excesso de estrogênio no corpo, o que ajuda a saúde hormonal como um todo.

Fonte: O Globo