Danni Carlos, de "A Fazenda", fala sobre beijo lésbico no cinema

O filme Quanto Dura o Amor traz Danni Carlos no papel de uma cantora do "underground"



As malas ainda não foram desfeitas, a casa está uma bagunça. Ela não comeu nada, só bebeu café e fumou diversos cigarros. Sequer lembra das senhas do cartão do banco ou do e-mail. São 15h30 e Danni Carlos prefere receber a equipe de O Dia na portaria de seu prédio, na Gávea. "Desculpe, estou de ressaca!", avisa, com o famoso sorriso de canto de boca.

A cantora e atriz, que consagrou-se vice-campeã do reality show A Fazenda, da Record, não está nem aí para o que dizem dela. "Sou canceriana. Essas coisas me contaminam, prefiro não saber. Pratico o desapego", diz, defendendo-se do apelido de Danni Winehouse (em referência à perturbada cantora britânica Amy Winehouse), que ganhou dos colegas durante o programa que deixou Dado Dolabella milionário. "Eu não ganhei R$ 1 milhão, mas ganhei muito mais", dispara ela, que se prepara para nova polêmica.

Com estreia programada para 9 de outubro, o filme Quanto Dura o Amor traz Danni Carlos no papel de uma cantora do "underground" paulista que torna-se um dos vértices de um triângulo amoroso envolvendo os personagens de Paulinho Vilhena e Silvia Lourenço, de O Cheiro do Ralo. Além de beijar na boca, as atrizes protagonizam uma cena de sexo quente no longa de Roberto Moreira. "Ai! Não sei se vou conseguir ir à estreia. É um filme delicado. A cena que fiz foi com pouca gente no estúdio, foi tranquilo para mim. Usei tapa-sexo. Não era eu. A personagem sempre defende o ator".

Danni considera apenas coincidência viver uma cantora no cinema. "Ela é do submundo. A diferença entre nós é que ela não tem Deus para puxar, mas eu tenho".

Desde que saiu de A Fazenda, Danni Carlos matou saudades do namorado Ricardo "Mãozuco" ("fiz coisas impublicáveis") e não para. De cara, fez duas apresentações: em São Paulo e em Goiânia. "Nem lembrava das letras. O mais legal é que agora tenho um público de senhorinhas de 65 anos que vão aos shows e levam santinhos para mim", conta.

Durante a estada no reality show, Danni compôs 12 músicas, que pretende incluir no próximo disco, e não se arrepende da experiência na atração. "Virei o Mickey! Descobri como as pessoas gostam de mim", diz.

Fonte: Terra, www.terra.com.br