Dona pede DNA ao rever cão que teria sumido em voo: "Irreconhecível"

Cachorro parecido com "Pinpoo" foi encontrado em Alvorada, na segunda (14).



Depois de um telefonema de um funcionário do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, a aposentada Nair Flores, 64 anos, teve renovada a esperança de encontrar o seu cão de estimação "Pinpoo". Um cachorro muito parecido com ele foi encontrado na segunda-feira (14), em Alvorada (RS).

"Pinpoo" teria fugido antes de embarcar no voo que iria de Porto Alegre (RS) para o Espírito Santo, em 2 de março.

"Um cão foi encontrado por uma pessoa em Alvorada (RS), na rua, e foi levado ao aeroporto. Eles então me ligaram e fui ver o cachorro. Ele é idêntico ao meu Pinpoo, não rejeita meus carinhos, mas também não me reconhece", afirma Nair ao G1.

Com muitos ferimentos, o cão encontrado em Alvorado foi levado a uma clínica em Porto Alegre, onde recebe atendimento. "Ele está em estado lamentável, muito machucado. Não me reconheceu e fugiu do banho, o que é estranho porque ele pedia para tomar dois banhos por dia. São coisas que ele não poderia esquecer em poucos dias. Mesmo assim tenho esperança que seja ele porque é igualzinho. Até a cortadinha que dou no pelo acima dos olhos, para não prejudicar a visão, é igual", diz a dona.

Segundo a aposentada, a idade dos animais também coincide. "Pelas unhas e pela dentição os médicos afirmam que esse cão tem cerca de 11 meses, como o Pinpoo. E o peso também é o mesmo registrado quando iríamos embarcar", afirma.

Nair, que na ocasião do embarque pagou R$ 684 mais a caixa pelo serviço de transporte do animal à empresa Gol, registrou um boletim de ocorrência sobre o sumiço do animal. Segundo informações da Gol, "Pinpoo" passou por todos os procedimentos previstos pela legislação, mas no trajeto para o avião forçou a grade da embalagem que o transportava e fugiu para a área restrita do Aeroporto Salgado Filho.

Exame de DNA

Sem o reconhedimento do cachorro, a única alternativa para descobrir se o cão encontrado é mesmo Pinpoo é, segundo Nair, um exame de DNA.

"Preciso urgente de um exame de DNA para saber se é mesmo o Pinpoo, porque ele está irreconhecível. Esse será, no entanto, um exame trabalhoso e caro porque temos que colher material da mãe de Pinpoo, em Guarapari, no Espírito Santo, e desse cachorro aqui em Porto Alegre", explica.

A aposentada espera contar com o apoio de uma clínica que queira fazer o exame, apesar do transtorno do deslocamento até Guarapari (ES). "Pinpoo" mescla as raças pincher e poodle, por isso tem este nome.

Fonte: g1, www.g1.com.br