Edir Macedo manda aumentar comerciais na Record para construir templo de R$ 360 mi

As mudanças na programação foram tão radicais que a audiência dos dois programas já está caindo.

Os telespectadores da Record vão precisar de uma paciência de Jó se quiserem continuar assistindo aos programas "Hoje em Dia" e "O Melhor do Brasil". É que, já há algumas semanas, a emissora aumentou o número de intervalos comerciais nas atrações, que são as de maior lucro da casa. Antes, as produções tinham quatro breaks. Agora, são sete!



O objetivo? Arrecadar dinheiro para a construção do maior templo da Igreja Universal do Reino de Deus na América Latina. A obra faraônica está orçada em R$ 360 milhões, fica no Brás, em São Paulo, e está sendo chamada de Templo de Salomão. As mudanças na programação foram tão radicais que a audiência dos dois programas já está caindo. O que torna ainda maior a dificuldade para concorrer com o "Encontro com Fátima Bernardes", que tem apenas dois intervalos comerciais. A estratégia da Record, que tem nos programas grandes anunciantes, como Nestlé e Pampers, acabou se tornando um tiro que saiu pela culatra.

Por enquanto, o lucro com os sete intervalos está garantido. Isso sem contar o merchandising que acontece dentro da programação, mas vale lembrar que agora o telespectador precisa dedicar 27 minutos aos intervalos se quiser assistir a uma das atrações. E como a ordem na Record é apertar o cinto, nos próximos dias a emissora vai fazer um corte de 12% de seu pessoal. Os jornalistas serão os maiores atingidos.

Fonte: O Dia Online