Em crise de audiência e faturamento, Record demite 246 funcionários

Os funcionários reclamaram de trabalhar demais e foram demitidos.

A Record está enxugando sua folha de pagamento em terras cariocas. Segundo o Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro, de 16 setembro até 20 de dezembro a emissora demitiu 246 funcionários, a maior parte deles do Recnov, central de dramaturgia do canal.


Em crise de audiência e faturamento, Record demite 246 funcionários

"Seguranças, motoristas, produtores e câmeras; os cortes atingiram todos os setores do Recnov", diz o presidente do sindicato, Miguel Walther Costa.

"Tudo começou quando iniciamos uma campanha trabalhista pelo fim do banco de horas na Record e pela volta do pagamento das horas extras. Eles estão demitindo como retaliação."

Segundo ele, as demissões atingiram o jornalismo local; 20 profissionais, entre jornalistas e radialistas, foram dispensados dias atrás.

Com o fim das edições locais do "Hoje em Dia", outros cortes virão em Belo Horizonte, Porto Alegre e Salvador.

Procurada, a Record, via assessoria de comunicação, diz que alguns setores do Recnov, como segurança e transporte, foram terceirizados, e outras pessoas, substituídas.

Diz ainda que, para atender à produção de dramaturgia, outras 60 pessoas foram contratadas no período. E questiona: "Quantas demissões a Folha fez no período?".

O jornal fechou 44 vagas de jornalistas nesse período.

Fonte: Folha.com