Lotada, quadra da Mocidade explode em festa com o bi

Lotada, quadra da Mocidade explode em festa com o bi

Bateria da Mocidade fez "paradona" no Anhembi e empolgou público

Bicampeã do Grupo Especial do Carnaval em São Paulo, a Mocidade Alegre começou a comemoração cedo, nesta terça-feira (11) - no ano passado, um tumulto durante a apuração acabou atrasando a confirmação do vencedor. ?Isso foi o melhor de tudo. Estava engasgado desde o ano passado por conta de tudo que aconteceu?, disse Robério Teodoro, presidente da comissão de frente da agremiação.

Robério, que acompanhou a apuração da quadra da escola, não escondeu a euforia com o título. Com torcedores e integrantes da agremiação, o presidente celebrou o 9º troféu da escola, que venceu a Rosas de Ouro por poucos décimos.

"E assim, o reino dos céus alcançar, quando o vento soprar, eu vou voar, e te encontrar nessa imensidão, brincar de Deus, ser feliz, sonhar, não há limites para a imaginação"

Samba enredo

Poucos minutos após o anúncio da vitória, a quadra já estava completamente lotada. Para tentar conter o forte calor foram distribuídos de leques de papelão com o samba enredo da escola. Mesmo assim, um dos torcedores passou mal e teve que ser socorrido no lado de fora da quadra.

Durante a festa, os puxadores do samba da escola saudaram a bateria, que perdeu alguns décimos. Os ritmistas foram muito aplaudidos. Quem também chamou a atenção na quadra era a rainha de bateria Aline. Se movimentando muito, ela primeiro subiu em um pequeno andaime colocado em frente a bateria. Em seguida subiu no palco onde permaneceu sambando.

Outros sambas-enredo que ganharam títulos na escola foram tocados durante as comemorações. Além disso, a Mocidade também realizou uma homenagem a vice-campeã Rosas de Ouro. "Nós sempre respeitamos todas as escolas. Peço uma salva de palmas a Rosas e a dona Angelina, que valorizaram muito a nossa vitoria", afirmou o mestre de cerimônia da festa.

Membros da escola estouraram espumantes no meio do publico para euforia de quem estava embaixo do palco. Já as latas de cerveja eram vendidas a R$ 4 cada.

Fonte: Terra, www.terra.com.br