Escola que foi rebaixada no RJ se revolta com notas e  faz protesto

Escola que foi rebaixada no RJ se revolta com notas e faz protesto

Depois da apuração, o presidente Antônio Marcos Teles, o Tê, afirmou estar decepcionado com o resultado final.

Em seu retorno ao Grupo Especial, o samba do Império da Tijuca tremeu o chão da Sapucaí. Mas, depois do resultado da apuração, quem ficou estremecida foi a comunidade do Morro da Formiga. Com um enredo que levantou o público da Avenida e levou apenas uma nota dez, a agremiação diz ter sido julgada pelo ?peso da bandeira?. Depois da apuração, o presidente Antônio Marcos Teles, o Tê, afirmou estar decepcionado com o resultado final.

- Não fiz carnaval para aquelas notas. Sinceramente, não tenho nem mais vontade de voltar a desfilar no Grupo Especial. A gente briga tanto no Acesso e chega no Especial e acontece isso - desabafou o presidente, visivelmente abalado com a classificação.

Nas redes sociais, grupos de torcedores se mobilizam para fazer um protesto no dia do desfile das campeãs, no próximo sábado. A iniciativa é apoiada também por componentes de outras agremiações, inconformados com os resultados divulgados. A revolta surgiu após o anúncio das notas da Unidos de Vila Isabel. A escola desfilou com fantasias e alegorias inacabadas, alas faltantes e ordem do desfile alterados. Mesmo assim, perdeu poucos pontos nos quesitos relacionados.


Escola rebaixada no Rio  se revolta com notas e torcida prepara protesto

- A liga pede que façamos um carnaval grande. Gastei tudo que ganhei e o que não ganhei para apresentar um desfile bonito. Não deixamos a desejar. O que fizeram foi uma grande covardia - contou Tê.

Sobre a manifestação, o presidente afirmou que desconhece a organização, além de não concordar com o protesto. Segundo ele, apesar da vergonha dos resultados, o trabalho feito na Sapucaí e o apoio recebido pesaram para a agremiação.

- A manifestação não tem nada a ver com a escola. Deve ser coisa dos torcedores mais fanáticos. Para nós, vale a consciência pessoal. Agora a liga tem que se conscientizar. Foi um erro muito grande para a potência que a Liesa é.

De volta à Série A, Tê agora pede mais colaboração com as agremiações que desfilam pelo Grupo de Acesso. Em reunião, que deve acontecer ainda esta semana, a diretoria irá decidir se entra com algum recurso ou não.


Escola rebaixada no Rio  se revolta com notas e torcida prepara protesto

- A única coisa que a Lierj (liga que organiza a Série A) perde para a Liesa (liga que organiza o Grupo Especial) é na questão da verba. Meu pedido é que ajudem as agremiações da Série A a ter um patrocínio digno para fazermos grandes carnavais. Aí acaba essa coisa de querer subir - reivindicou ele, lembrando também que a Cidade do Samba prometida ao grupo ainda não saiu do papel.

Fonte: Extra