Família Piquet vence processo contra equipe Renault

Família Piquet vence processo contra equipe Renault

Equipe francesa teve de se retratar e pagar uma compensação financeira por comentários contra Nelsinho

Nelsinho Piquet e Nelson Piquet, seu pai, venceram um processo contra a equipe Renault na Justiça inglesa ainda por causa dos comentários dos dirigentes após o escândalo do acidente forçado do brasileiro no GP de Cingapura de 2008. Após a divulgação da polêmica, o time divulgou um comunicado dizendo que o piloto e seu pai estavam mentindo sobre as circunstâncias do fim de semana e tentando chantagear os chefes na Fórmula 1.

A família Piquet ficou furiosa com as alegações e entrou com uma ação de danos morais contra a Renault. Após uma audiência, ela aceitou que os comentários feitos na época eram incorretos. A equipe francesa concordou em pagar os custos legais e uma compensação financeira (sem valor revelado) a Nelsinho e Nelson, além de assegurar que as acusações não sejam repetidas pelo time ou por seus funcionários. O advogado Dominic Crossley, que defendeu os brasileiros, soltou um comunicado oficial após o julgamento.

"A Renault se desculpou na Justiça inglesa por difamar meus dois clientes. Isto marca o fim de uma longa jornada na qual ambos estão tentando corrigir tudo o que aconteceu de errado durante este escândalo. Eles foram tratados de maneira espantosa pela Renault quando ameaçaram revelar o escândalo ao órgão regulador, e Nelsinho foi vitimado terrivelmente durante sua curta carreira na Fórmula 1.

É do imenso crédito de ambos os meus clientes, que se recusaram a serem impedidos de apontar os erros, apesar da ferocidade dos ataques e o tamanho dos oponentes que confrontaram. Nelson Piquet dominou a F-1 nos anos 80 e sua reputação como lenda do esporte permanece intocada. A categoria ficou sem o melhor de Nelsinho e, para seu detrimento, o talento do piloto será demonstrado em outro lugar. Ambos estão contentes com a conclusão bem sucedida do caso", diz o comunicado oficial.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com