Zeca critica comoção por morte de cantor e é alvo de protestos

Segundo ele, Cristiano 'não era um ídolo de verdade'

Image title

O ex-apresentador do Fantástico e do Vídeo Show, Zeca Camargo, foi alvo de muitas críticas após fazer uma crônica um tanto quanto polêmica sobre a morte do cantor Cristiano Araújo, sertanejo que morreu após se envolver em um acidente de carro em Goiás na última quarta-feira (24).

O jornalista fez uma análise para o Jornal das Dez, na Globo News e criticou a música sertaneja, chegando a afirmar que Cristiano não era tão conhecido para ser um ‘ídolo de verdade’. Logo no começo da sua crônica, Zeca afirma que muita gente estranhou a enorme comoção feita pela morte de Cristiano Araújo, entre várias explicações que ele dar sobre essa estranheza ele cita o gosto cultural do brasileiro.

Segundo ele, ‘de uma hora para outra’ pessoas que não conheciam e nem faziam ideia de quem era Cristiano Aráujo se tornaram fãs e se comoveram em um grande velório. Ele cita ainda as grandes despedidas como de Cazuza, Mamonas Assassinas, Lady Di, Michael Jackson e Ayrton Senna e acrescenta: “Como fomos capazes de nos deixar seduzir por uma figura relativamente desconhecida”, pergunta ele no vídeo sobre Cristiano.

A resposta estaria nos livros para colorir, que são um viral atualmente e caracterizados como vilões do cenário pop. Para ele, a morte de Cristiano e a grande comoção está relacionada a falta de fortes referências culturais atualmente. “Ao nos mostrarmos abalados com a ausência de Cristiano acreditamos estar de fato comovidos com a perca de um grande ídolo e todos sabemos que não é bem assim”, acrescenta.

Não se contentando, o jornalista afirma que os cantores sertanejos são ‘cantores de uma música só, que estão desesperadamente a uma lotada agenda de shows para ganhar um bom dinheiro antes que o sucesso acabe’.

Ao final da análise, Zeca Camargo diz que o mais inquietante de tudo isso é que “nosso pop não precisa ser assim”. Segundo ele, nossa história musical e o passado recente mostram que temos tudo para “adorarmos ídolos de verdade” e para “chorar de verdade” a perda deles.

“Mas agora olhando em volta parece que não vemos nada disso. Não precisa ser assim. Precisamos sim de outro heroi. De mais herois, mas está todo mundo ocupado pintando jardins secretos”, finaliza.

Após a análise, o ex-apresentador foi alvo de inúmeras críticas, principalmente de cantores sertanejos. Muitos deles se mobilizaram e postaram imagens com as mãos nos ouvidos deixando bem claro que o texto de Zeca Camargo não foi aceito por todos. Munhoz e Mariano, Sorocaba, Eduardo Costa, Santiago Israel Novaes e Belluti foram um dos cantores que participaram da corrente.

O cantor Eduardo Costa fez um desabafo na sua rede social. “Eu não entendi essa do Zeca Camargo. Será que foi só eu que notei um baita preconceito contra os ídolos sertanejos? Acho que ele tem que viajar mais pelo Brasil para saber que por aqui a história é outra, que nossa música sertaneja leva mais gente para os shows do que as maiores populares festas do país. Esse povo tem que conhecer o que é caipira e nos respeitar”, disse.

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title


Fonte: Com informações do Uol