Festival de Inverno atrai olhares e cantoras levam boa música para Pedro II

Festival de Inverno atrai olhares e cantoras levam boa música para Pedro II

A Suíça Piauiense mais uma vez chamou atenção de piauienses e turistas para o evento que se tornou patrimônio cultural

Pedro II é um verdadeiro presente aos olhos. Com uma natureza exuberante agraciada pelo brilho das opalas, das cachoeiras, dos sítios arqueológicos, sem falar da beleza e tranquilidade do Morro do Gritador, a cidade ganha ainda mais brilho durante o Festival de Inverno, que reúne grandes nomes da música nacional, internacional e regional, proporcionando momentos inesquecíveis aos visitantes, que embarcam para aquela que é considerada a Suíça Piauiense.

Em sua décima edição, o evento já levou para o munícipio grandes nomes do cenário musical brasileiro. Milton Nascimento, Lenine, Vanessa da Mata, Maria Rita e Zeca Baleiro já passaram pelo Palco Opala e foram responsáveis por colocar a cidade na rota dos grandes eventos nacionais.

Durante os quatro dias de evento, o jazz, blues e MPB embalaram a multidão, que vem de todos os cantos do país para conferir os shows gratuitos realizados na Praça da Bonneli. Bernard & Julio Bittencourt trio abriram o festival este ano cantando jazz e blues misturados ao sotaque francês de Bernard, ganhando ainda mais delicadeza e glamour.

Bernard mora no Brasil há mais de vinte anos, e conta que a paixão pelo jazz surgiu quando ainda era criança, mas foi no Brasil que iniciou sua carreira. ?Quando me mudei para o Brasil, fui morar em uma vila de pescadores que não tinha energia, aí aproveitei para aprender a tocar violão, e posteriormente passei a me apresentar em bares de Curitiba. Até que conheci o trio e hoje viajamos por todo o Brasil?, disse.

Com uma voz marcante e dona de uma grande beleza, Taryn Szpilman é considerada uma das melhores cantoras de jazz e blues no Brasil. Para o Festival ela preparou um repertório que passeou pelos seus maiores sucessos, mas não deixou de lado as canções de Janis Joplin e Jimmy Hendrix, seus maiores ídolos.

?Finalmente vou me apresentar no Festival e encantar o público. Confesso que já estava ansiosa, até porque fui convidada há cinco anos, mas como eu estava grávida de oito meses não pude me apresentar?, comentou a cantora.

Já no segundo dia de festival, a cantora Luíza Miranda abriu a noite e encantou o público com o show ?Vinicius Vive?, no qual homenageou o centenário de nascimento de Vinicius de Moraes, aquecendo o público para receber uma das atrações mais esperadas do evento, Maria Gadú, que foi apontada como revelação da MPB, mas que ainda não se acostumou em receber tal título.


Festival de Inverno atrai olhares e cantoras levam boa música e emoção a Pedro II

?Eu acho estranho você ter seu ídolo falando de você ou ter a oportunidade de gravar com ele. Eu gravei com o Caetano e fizemos um trabalho lindo juntos. Já cantei com Milton, Ivan Lins, enfim, eu me acho muito nova, e tive meu trabalho reconhecido muito cedo e por isso acho estranho?, comentou Maria Gadú, que encantou Pedro II com as canções ?Shimbalaiê?, ?Zóio de Lula? e ?Lanterna dos Afogados?.

Zélia Duncan emociona público


Festival de Inverno atrai olhares e cantoras levam boa música e emoção a Pedro II

"Vou me mudar para Pedro II", afirmou Zélia Duncan no show que emocionou o público do início ao fim. Cantando com um coro afinado, como ela mesma afirmou, a cantora que já tem 30 anos na estrada também é dona de uma grande simpatia. Zélia interagiu com o público e confessou que o Nordeste é sua região predileta no Brasil.

"Por mim eu cantava em todos os lugares, mas é difícil, as pessoas não trazem a gente, são muitas complicações.

Hoje eu demorei mais de doze horas para chegar a Teresina, mas dentro do carro, vindo para cá, eu estava me sentindo privilegiada de olhar essa paisagem.

O Nordeste é a região que eu mais amo, meu pai é nordestino, eu adoro o sotaque, adoro as comidas, a vibração, e pensar que provavelmente ninguém nunca me viu é motivo para eu me sentir uma garotona e querer que essas pessoas queiram me ver de novo", afirmou a cantora que fez questão de provar a comida local quando chegou a Pedro II.

Durante as quatro noites do evento, também passaram pelo Palco Opala as bandas Terê Groove, Validuaté, Josué Costa e Banda, Artur Menezes, Ostiga Jr e Banda, Banda Boattus"s e Banda Amarelo Cajuína, responsáveis por dar um toque especial ao Festival de Inverno e reunir aproximadamente 60 mil visitantes durante os dias de festa.

Patrimônio cultural valorizado

Quem visita Pedro II já chega com uma recepção calorosa e característica dos moradores da cidade, que deixam muitas vezes suas residências para que o turista se sinta em casa.

A prefeita do município, Neuma Café, conta que para a edição deste ano foi realizada uma série de melhorias na infraestrutura da cidade, dando mais mobilidade e comodidade ao evento.

"Foram realizadas uma série de medidas para a melhoria do evento, que vai desde a reforma das praças, municipalização do trânsito e qualificação dos profissionais que irão trabalhar diretamente com o turista. Como o festival se tornou Patrimônio Cultural de Pedro II, nós vamos procurar investir ainda mais neste setor para que o turista sempre retorne e traga mais amigos, ajudando assim no desenvolvimento da cidade", afirmou a prefeita.

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) organiza em todas as edições do evento uma feira que reúne artesanato, roupas, e joias feitas com opala, movimentando a economia da região.

Fonte: Gisele Alves