Bloco Barão de Itararé marca a identidade do carnaval do Dirceu

Assim como muitos carnavais do resto do país, o bloco tem camisas confeccionadas pela diretoria para os participantes, que possui um preço simbólico.

Por: Lucrécio Arrais

O carnaval do Grande Dirceu e de toda a região Sudeste de Teresina tem identidade própria. E história também. E uma prova disso é o bloco de carnaval Barão de Itararé, que em 2015 completa 25 anos de muito sucesso e alegria. Desde a década de 80, os foliões fazem a festa, que começa sempre às 18h, com concentração na Avenida Principal do bairro Dirceu Arcoverde.

Assim como muitos carnavais do resto do país, o bloco tem camisas confeccionadas pela diretoria para os participantes, que possui um preço simbólico. Porém, as pessoas são livres para pular carnaval com o Barão de Itararé com a fantasia que quiserem. O que importa é a alegria e o sorriso no rosto.

Este ano, o Barão de Itararé sai com um tema mais metalinguístico, exaltando sua importância cultural para a comunidade. “O Bloco vai trabalhar os enredos que já foram trabalhados durante os 25 anos de existência dele. Vamos prestigiar o próprio bloco e a importância dele para a comunidade. Sempre trabalhamos numa linha crítica da situação, da realidade do povo da nossa região”, explica Antônio Araújo, diretor do bloco.

Todos os anos a movimentação que gira em torno da festa promovida pelo bloco atrai muita gente para as ruas da região. “O Bloco sempre arrasta muita gente para avenida. As pessoas que não seguem o bloco, ficam nas esquinas vendo a movimentação. Estamos com a expectativa para cerca de 10 a 15 mil pessoas”, diz Antônio.

O bloco desfila tradicionalmente sempre aos domingos e terças-feiras de carnaval. Mas este ano a festa acontecerá apenas no domingo. “Este ano, vamos fazer só no domingo. Porque na terça-feira o bloco vai estar unido à Escola de Samba Galo Tricolor. Vamos ser no desfile”, afirma o diretor do Barão de Itararé.

Bloco foi institucionalizado ano passado

Quando o bloco Barão de Itararé iniciou suas atividades há 25 anos atrás, a festa acontecia sem nenhuma documentação ou burocracia. Somente ano passado que a organização decidiu por institucionalizar a festa, tornando-a atrelada à associação dos moradores da região.

Porém, o caráter livre do bloco se manteve. “O Bloco se tornou uma instituição em 2014, mas sempre teve um caráter muito livre, que se organizava véspera, sem muita obrigatoriedade. Este ano ele saímos como Associação Carnavalesca Bloco Barão de Itararé”, pondera Antônio Araújo.

Barão de Itararé surgiu pela ausência de carnaval de rua

No final dos anos 80, o bloco de carnaval Barão de Itararé surgiu como resposta à decisão da Prefeitura Municipal de Teresina em não realizar o carnaval de rua na época. “Naquele ano, em 1989, a Prefeitura de Teresina decidiu não fazer carnaval de rua. Então ele surgiu na ausência de um carnaval popular e que fosse aberto para a comunidade”, conta Antônio.

A iniciativa para tocar as atividades carnavalescas foi de um ex-vereador da capital. “O Barão de Itararé foi idealização de Anselmo Dias, que foi vereador de Teresina e faleceu ano passado. Ele foi o grande motivador e sempre defendeu a necessidade de have uma festa popular para a população do Grande Dirceu Arcoverde”, finaliza o diretor.

Fonte: Lucrécio Arrais