Corso atraiu visita de 15 mil foliões a Teresina, revela pesquisa

Esses dados foram cruzados com a informação da Polícia Militar de Teresina, que estimou em 250 mil pessoas presentes ao Corso na tarde e noite de 7 de fevereiro

Pesquisa realizada por professores e alunos da Fundação Antônio Dante Civiero, coordenada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SEMDEC), da Prefeitura de Teresina, indicou que a cidade recebeu 15 mil visitantes que chegaram motivados pelo Corso, os quais permaneceram um dia e meio, de um total de 36.500 pessoas provenientes do interior do Piauí e de outros estados brasileiros.

Esses dados foram cruzados com a informação da Polícia Militar de Teresina, que estimou em 250 mil pessoas presentes ao Corso na tarde e noite de 7 de fevereiro.

Teresina representou 85% do fluxo de foliões do Corso, enquanto 7% foi originado do interior do Piauí e 8% ficaram distribuídos entre Maranhão, Ceará, Bahia, São Paulo e Sergipe. Do total de turistas entrevistados, 77% se hospedaram em casas de parentes e de amigos e 23% em hotéis e pousadas.

A idade média do folião se situou em torno de 33 anos, com renda média equivalente a R$ 2.380,00. Dentre os aspectos que mais agradaram, 41% consideraram a animação, 17% os próprios foliões e os carros enfeitados e 14% as fantasias. Os aspectos que menos agradaram foram o atraso na saída dos carros (23%), a falta de banheiros públicos (13%) e a sujeira e falta de lixeiras (12%).

Em relação à avaliação geral do Corso, 83% dos entrevistados consideram os conceitos de ótimo e bom para a animação dos foliões, seguido da divulgação do evento (76%) e da segurança no percurso (65%).

Dentre os conceitos mais desfavoráveis estão o tempo gasto no percurso (36%), as dificuldades de estacionamento (33%) e o serviço de ônibus (20%).

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Fábio Nery, a Prefeitura de Teresina está trabalhando no sentido de incluir o Corso na comercialização de pacotes de grandes operadoras nacionais. "Temos um grande diferencial sobre outros mercados concorrentes, que tornam o nosso Corso um evento único", disse o secretário.

"Essa diferença não está apenas em sua inclusão no Guiness Book como o maior desfile de carros alegóricos do mundo, mas por se manter entre a preferência do teresinense para as festas que antecedem o Carnaval", concluiu Fábio Nery.

A pesquisa ouviu aleatoriamente 171 pessoas durante quatro horas de percurso do Corso, entre 19h e 23h, através da aplicação de questionários contendo 13 questões abertas e fechadas.

 

Fonte: Jornal Meio Norte