Deputada quer impedir "cápsula do amor" para 'rapidinhas' no carnaval baiano

"Neste caso, mais uma vez é a imagem da mulher que fica desvalorizada", argumentou a deputada.

 Uma ação promocional de uma marca de camisinhas está causando polêmica no Carnaval de Salvador. A marca Durex instalou uma cápsula privê, suspensa a 15 metros do chão, sobre o circuito Barra-Ondina desde esta quinta (12), para casais curtirem o Carnaval com mais intimidade. A cápsula, que lembra um quarto de motel com vidros escuros, conta com ar-condicionado, frigobar, sofás, banheiro e camisinhas.

A novidade, que já havia sido apresentada na última edição do "Big Brother Brasil" e em outros eventos no Brasil, provocou a reação da deputada Fabíola Mansur (PSB), presidente da Comissão dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa da Bahia. Em sua página do Facebook, ela diz que "ao invés de fortalecer as campanhas favoráveis ao sexo seguro, a fabricante de preservativos apenas reforça a ideia largamente difundida segundo a qual seria Salvador uma das rotas preferenciais do turismo sexual no Brasil", disse ela. "Neste caso, mais uma vez é a imagem da mulher que fica desvalorizada", argumentou a deputada.

O secretário de urbanismo de Salvador, Silvio Pinheiro, disse que a prefeitura liberou o projeto com base na questões técnicas, como a segurança dos ocupantes, mas que não tem responsabilidade sobre o uso que se faz do equipamento. "Não temos controle, por exemplo, se um casal usar um banheiro de um camarote para namorar. Cabe à administração fiscalizar a finalidade espaço. Só iremos intervir se o projeto colocar em risco a segurança das pessoas".

Em seu Facebook, a marca esclareceu como será feita a limpeza do espaço após o uso. "Temos uma equipe de limpeza que realiza o serviço todas as vezes que a cápsula é utilizada, assim garantimos que ela esteja sempre incrível".

Fonte: Uol