Governo envia livros que indicam site erótico para aulas

Governo envia livros que indicam site erótico para aulas

Colégios bloquearam site, diz secretaria; livro foi usado no ensino médio em 2009 e 2010

O governo do Estado de São Paulo distribuiu um livro para alunos de escolas públicas que indicava um site pornográfico como referência para aulas de inglês. O material didático foi usado por estudantes do primeiro ano do ensino médio durante dois anos, em 2009 e 2010.

A obra faz parte do currículo da rede estadual e chegou a ser usado por 645 mil estudantes, segundo Valéria de Souza, coordenadora de estudos e normas pedagógicas da Secretaria Estadual da Educação.

No site, chamado NewsOnline.com, supostas apresentadoras de telejornal vão ficando nuas enquanto apresentam reportagens. A secretaria afirma que na época em que o livro foi entregue às escolas, o endereço remetia a uma página para consulta de jornais e revistas de várias partes do mundo.

O site era usado para exercícios como reescrever reportagens de jornais da Inglaterra e dos EUA, afirma Valéria. Ela ressalta que a secretaria bloqueou o acesso ao site em todos os colégios da rede estadual.

Também foram dadas orientações para os professores que não usem o livro e que usem outros sites que levem a jornais estrangeiros, nas aulas de inglês.

- Pedimos orientação para o MPF [Ministério Público Federal] para saber o que fazer, já que o site [NewsOnline.com] não está hospedado no Brasil. Queremos saber se é possível adotar alguma medida [um processo ou ação na Justiça].

Livro não é reaproveitável

O livro é "consumível", segundo a coordenadora de normas pedagógicas. Isso significa que ele não está sendo usado para as aulas neste semestre e que será reimpresso para uso em 2011 sem o endereço do site pornográfico. A obra não é reaproveitável pelos alunos, diz Valéria.

- A gente sempre checa o que vai ter ou não que mudar nos livros, quando eles vão ser reimpressos. A gente não imaginava que um site como esses [que remetia a jornais no exterior] pudesse ter mudado tanto.

Ela afirma que o livro faz parte de uma coleção bimestral, e foi usado entre maio e junho tanto em 2009 quanto em 2010. Na época, não foi registrada nenhuma reclamação ou problema com o site em questão.

- Possivelmente o conteúdo inadequado só entrou no ar depois que o livro foi usado. A internet é muito volátil, e foi um episódio infeliz. Ainda bem que isso não aconteceu com materiais [didáticos] que estão sendo usados agora [pelos estudantes].

Fonte: R7, www.r7.com