Herdeiro de Eike Batista,abre jogo sobre Babi Rossi: "Me encantei"

Herdeiro de Eike Batista,abre jogo sobre Babi Rossi: "Me encantei"

Aos 17 anos, o jovem falou sobre a exposição na mídia, o preconceito que sofre por ser filho de um bilionário e como é ser DJ no Brasil

Com apenas 17 anos, Olin Batista deixa transparecer que a adolescência já é coisa do passado e se mostra um jovem esperto e interessado nas coisas ao seu redor. Filho de Eike Batista, um dos empresários mais ricos do mundo, e da ex-modelo Luma de Oliveira, ele tem se jogado na carreira de DJ e garante que tem o apoio da família. Na vida pessoal, recentemente assumiu o namoro com a assistente de palco do ?Pânico? Babi Rossi, cinco anos mais velha que ele, e viu parte da sua intimidade exposta na mídia. Em conversa, Olin falou sobre sua vida, o namoro com a panicat e disse que seus pais apoiam o relacionamento. Veja a entrevista na íntegra.


Herdeiro de Eike Batista, Olin abre o jogo sobre Babi Rossi:

Como e quando decidiu que queria virar DJ?

Olin: Sempre fui um amante de música eletrônica desde pequeno, 7, 8 anos. Fui puxado pelo meu irmão (Thor), que na época gostava também. O interesse foi crescendo até que chegou uma hora que resolvi comprar meus primeiros CDs, mixer e começar a brincar em casa mesmo. Sempre fui autoditada, nunca fiz curso, aula ou algo do tipo.

Você é alvo de preconceito na profissão por ser filho de um dos maiores empresários do país?

Olin: Sim, preconceito sempre sofri na minha vida, sem ao menos fazer nada. Infelizmente, convivo com isso desde pequeno, já estou acostumado, nasci com o dom para administrar isso. Em relação à carreira, sem dúvida existe e muito. A maioria pensa: "Só esta lá em cima por ser filho de quem é...", porém não acho errado. Se estivesse do outro lado, iria pensar a mesma coisa. Na profissão de DJ já tem muito preconceito porque existem muitos fakes. E já tive o desprazer de tocar com alguns.

Já pensou em deixar o nome da família de lado para não ter que enfrentar isso?

Olin: Preciso responder?! (risos). Não, óbvio que não!

Seu pai o apoia na carreira de DJ?

Olin: Sim, minha família toda: pai, irmão e mãe. Isso, sem dúvida, é um dos principais fatores pra mim.

Ele já sugeriu que você seguisse alguma outra carreira?

Olin: Não, meu pai sempre foi cabeça aberta, sempre confiou muito em mim.

Como você se vê em relação à carreira daqui a alguns anos? Sonha tocar em festivais e eventos famosos pelo mundo?

Olin: Quero continuar produzindo minhas músicas e me apresentando. Não me imagino fazendo outra coisa. Em 90% do meu tempo livre, eu me dedico à música, fico no estúdio produzindo e editando o tempo todo. Sim, sem dúvida, tocar em grandes festivais de música eletrônica, ser reconhecido no gênero, seria meu maior sonho.


Herdeiro de Eike Batista, Olin abre o jogo sobre Babi Rossi:

Como você e Babi Rossi se conheceram?

Olin: Foi através do meu empresário. Fomos gravar um clipe em Angra dos Reis no final de outubro para um vídeo meu. Desde então, fomos mantendo amizade, fomos a algumas festas juntos, mas só ficamos mesmo no dia do meu aniversário em 16 de dezembro numa festa aqui no Rio, na Ilha Fiscal.

Você a via no programa?

Olin: Sim, algumas vezes. Confesso que me surpreendi ao conhecê-la, superou minhas expectativas. Eu me encantei. Ela é um amor!

Ela é cinco anos mais velha que você. A diferença de idade atrapalha?

Olin: Em nada.

Como foi a reação da sua família quando surgiram as primeiras notícias sobre o relacionamento? Teve o apoio deles?

Olin: Sim, claro. Já conversei sobre isso e tenho o apoio deles.

Quando você inicia um relacionamento, fica preocupado se a pessoa está se aproximando por interesse?

Olin: Sim, sempre tenho que estar de olho em tudo e em todos. Não é fácil, admito, e sempre tem um tentando ser mais esperto do que o outro. Mas sei tomar conta disso muito bem. Isso foi uma coisa que meu pai me ensinou desde pequeno.


Herdeiro de Eike Batista, Olin abre o jogo sobre Babi Rossi:

Herdeiro de Eike Batista, Olin abre o jogo sobre Babi Rossi:

Fonte: EGO