Homens armados atacam vilarejo no Iraque

Autoridades temem aumento da violência após recente vitória da oposição

Homens armados vestidos com uniformes militares invadiram um vilarejo mulçumano sunita no sul de Bagdá na noite desta sexta-feira (2) e mataram ao menos 25 pessoas, incluindo mulheres e crianças, informaram autoridades iraquianas. Inicialmente, fontes do governo disseram que o ataque havia deixado 24 mortos.

O incidente ocorreu em um vilarejo de Rasheed, distrito da capital Bagdá. Uma fonte da polícia declarou que as vítimas foram amarradas e mortas com tiros na cabeça.

Pelo menos sete pessoas foram deixadas vivas, disse o porta-voz da Segurança, general Qassim al-Moussawi. ?O incidente aconteceu ao sul de Bagdá. O grupo terrorista matou 24 pessoas, inclusive cinco mulheres?, afirmou Moussawi. ?Nós encontramos sete pessoas vivas, amarradas?, completou.

A violência teve um declínio significativo nos últimos dois anos, mas oficiais de segurança temem o crescimento dos ataques e instabilidade no país após as eleições de 7 de março.

Depois de uma apuração demorada, a coalizão do oposicionista secularista Iyad Allawi ganhou a maioria dos assentos, 91. O atual premiê, Nuri al-Maliki, que ficou com 89 cadeiras, disse que não aceitará os resultados.

A área onde ocorreu o atentado é um das fortificações da al-Qaeda ao sul de Bagdá e no passado foi cenário de combates entre as tropas iraquianas, americanas e islamitas, até que recuperou a estabilidade graças à colaboração dos Conselhos de Salvação - milícias tribais sunitas pró-governo.

Fonte: g1, www.g1.com.br