Irmão de ex-Flu tem seu corpo carbonizado

Os corpos dele e do amigo foram encontrados carbonizados dentro de um Ford Ka

Irmão do jogador Wellington Monteiro, Wallace Monteiro, de 26 anos, saiu no último sábado à noite acompanhado de Alexandre, presidente da Associação de Moradores da Jaqueira, em Pedra de Guaratiba. No dia seguinte, Dia dos Pais, previa almoçar com seu Valdecir e ficar com as filhas Geovana e Ana Clara. Na segunda-feira, tinha apresentação marcada no Bangu. Mas o lateral-esquerdo, com passagens por América (Teófilo Otoni-MG), Juventude, Mesquita, Internacional, Mixto-MT e Figueirense, não voltou mais. Os corpos dele e do amigo foram encontrados carbonizados dentro de um Ford Ka, às 15h20m, do último domingo, na região conhecida como Caminho Fragoso. A Divisão de Homicídios investiga se o crime há relação com milicianos, já que Alexandre não teria repassado dinheiro referente às vendas de "gatonet" e botijões de gás.



- O meu filho foi por engano. Fizeram uma crueldade. Ele está pequenininho (carbonizado). Ele era querido, nunca usou drogas. Meu filha seria incapaz de matar uma mosca. A vida dele era beber a cervejinha e mulher - desabafou, desesperada, a mãe Sônia.

No registro policial, os PMs Alexandre Fernandes e Sérgio de Jesus informaram ter encontrado dois corpos no Ford Ka, de placa LUL 1268. Um estava no porta-malas e o outro, no banco do carona. No RO, consta ainda que foi encontrado uma haste de fixação para tíbia (osso do tornozelo). Devido à fratura sofrida num torneio na Itália, Wallace Monteiro usava a fixação. Ontem, o irmão mais velho William estava no Instituto Médico Legal, de Campo Grande, para liberar o corpo - dependia de um exame de DNA, feito a partir da saliva da mãe. A liberação só deve ocorrer nesta quarta-feira para que seja realizado o sepultamento.

- Dia desses, usei a música do Zeca Pagodinho para aconselhar: irmão, não deixa a vida te levar, leva a vida. E fizeram essa crueldade. As pessoas são más. Temos que saber quem são os amigos. É duro - disse Wellington Monteiro.

Fonte: Extra, extra.globo.com