Jota Quest lança disco espanhol na Argentina

No ensaio fotográfico para o encarte do disco, a banda posou dentro de um carrão antigo

Enquanto Rogério Flausino se esforçava para falar corretamente o espanhol que vem estudando desde o ano passado, os outros integrantes do Jota Quest brincavam sem parar com a língua. "Una Cueca-Cuela, por favor?", suplicou o tecladista Márcio Buzelin, arrancando gargalhadas não só dos parceiros como também dos argentinos envolvidos na produção do álbum que a banda acaba de gravar de olho no mercado latino-americano.

- Tenho aulas em BH com uma espanhola e, em Buenos Aires, com a Magali, que gravou vocais com a gente - contou Rogério.

No estúdio El Pie, Flausino gravou com Dante e Emanuel

Em agosto, Flausino, Buzelin, Marco Túlio Lara (guitarra), PJ (baixo) e Paulinho Fonseca (bateria) passaram cinco dias entre Buenos Aires e Bariloche, finalizando o CD, que será lançado no final de outubro na Argentina (no Brasil, será feita uma tiragem especial). Os músicos aproveitaram para testar em um show o repertório - agora todo traduzido para o castelhano - e registrar imagens em vídeo para usar na promoção da banda no país de Maradona e, possivelmente, incluí-las em um DVD.

- É um recomeço. Aqui ninguém espera nada da gente. Depois de 17 anos, voltamos a sentir aquela coisa do primeiro olhar da pessoa - disse Flausino, que, com o Jota, já vendeu mais de três milhões de CDs e DVDs.

Além de ajudar Rogério Flausino a traduzir algumas letras, a cantora Magali Bachor gravou vocais para as versões que estarão no álbum da banda

A vontade de atravessar a fronteira é antiga. Em 2009, os executivos da Sony Music, gravadora do Jota Quest desde o início da carreira, chegaram à conclusão de que a banda era a mais indicada para fazer o caminho que os Paralamas do Sucesso fizeram na década de 90: eles são reconhecidos até hoje no país pelo sucesso de "Inundados" ("Alagados").



- E eles acham que a mistura do funk com o rock que fazemos é um diferencial na América Latina - comentou o vocalista.

No Minério de Ferro, estúdio do Jota Quest em Belo Horizonte, Mario Breuer ajudou a banda. Márcio Buzelin aprendeu com o produtor de nomes como Charly Garcia e Fito Paez

Parte do disco foi gravada no Minério de Ferro, estúdio do Jota Quest em Belo Horizonte. Com a ajuda do produtor Mario Breuer, Flausino registrou sua voz em Buenos Aires, no estúdio El Pie. Lá, em agosto, a banda recebeu também Dante e Emanuel, da dupla Illya Kuryaki & Valderramas, para gravar uma participação na versão de "Na moral".

- Somos fãs há um tempão. Eles explodiram quando eram adolescentes, e a dupla acabou. Juntamos os dois para a gravação - contou PJ.

Rogério Flausino subiu ao palco do Roxy Club nervoso

O primeiro show na Argentina aconteceu no dia 23 de agosto, no Roxy Club. Acostumada a tocar para públicos de 10 mil a 40 mil pessoas, a banda brasileira recebeu não mais do que 200. Foram os brasileiros residentes que ajudaram a embalar a outra parte da plateia, que teve seu primeiro contato com "Encontrar a alguien", versão de "Encontrar alguém", single de trabalho.

- Fiquei nervoso - disse Flausino, depois.

De lá, a banda seguiu para Bariloche, onde gravou os vídeos.

Fonte: g1, www.g1.com.br