"Já beijei 17 meninas em uma noite", diz ator Marco Pigossi

"Já beijei 17 meninas em uma noite", diz ator Marco Pigossi

Apesar de namorar, há três anos, ele afirma que também já teve sua fase mulherengo.

Falante e extrovertido, o paulistano Marco Pigossi, 21 anos, garante que nem de longe se parece com seu personagem, Pedro, da novela Ti-ti-ti. Na trama, ele engravida uma adolescente, mas não quer saber de compromisso. ?Eu assumiria e faria um acordo com ela, daria toda a assistência?, disse o ator à repórter Laís Rissato, ao responder às perguntas dos leitores enviadas ao site de QUEM. Em sua terceira novela, Pigossi faz um trabalho bem diferente daquele que o tornou conhecido em 2009, em Caras & Bocas, quando interpretou o homossexual Cássio e transformou os bordões ?rosa-chiclete? e ?choquei? um sucesso entre o público. Apesar de namorar, há três anos, entre idas e vindas, a biomédica Janaína Comes, 30 anos, ele afirma que também já teve sua fase mulherengo.

1 - Como reagiria se, assim como na novela, você engravidasse alguém?

Rosana Pinheiro, Rio de Janeiro (RJ)

Primeiro, iria me cuidar para não deixar acontecer, pois é algo muito sério. Tenho só 21 anos e isso implicaria pular uma etapa de vida importante. Mas, se acontecesse, assumiria e faria um acordo com ela, daria toda a assistência e estaria presente.

2 - O Pedro é muito mulherengo. Já passou por essa fase?

Regina Cardoso, Mirassol (SP)

Bastante. Aos 17, 18 anos, ia para a balada e competia com meus amigos para ver quem pegava mais mulher (risos). Durante a viagem de formatura do colégio para Porto Seguro (BA), foi aquela festa e beijei 17 em uma noite. Mas essa fase passou rápido, porque chega uma hora que enche o saco.

3 - Já viveu alguma decepção amorosa?

Suzana Cortes, Itu (SP)

Já, todo mundo passa por isso. Quando tinha 17 anos, namorei uma menina durante um ano e pouco, ela era mais velha, tinha 23. Era apaixonado, mas descobri que ela me traiu. Foi a maior decepção, de chorar no colo da minha mãe. Mas em duas semanas já estava recuperado.

4 - Você é muito assediado pelas mulheres?

Muriel Lima, Curitiba (PR)

Quando eu interpretava o Cássio, o assédio era bem grande. Ele era um personagem gay, mas isso atraía a curiosidade das mulheres, porque elas queriam saber como era o Marco.

5 - Li que você terminou um namoro de três anos por causa da novela Caras & Bocas. Por quê?

Patrícia Nunes, Cabo Frio (RJ)

Terminei, mas nós já voltamos (risos). Namoro a biomédica Janaína Comes e ela tem 30 anos. Fiquei muito mergulhado no trabalho, gravava de segunda-feira a sábado e foi uma época difícil de conciliar as coisas. Também foi uma transição do ser anônimo para ser famoso, e isso gerou ciúme, falta de tempo. Mas estamos juntos há três anos nesse vaivém. Temos uma relação bacana, em que um respeita o outro.

6 - Você é um cara vaidoso?

Marcela Pereira, Niterói (RJ)

Não, deveria ser mais, cuidar da pele e do corpo, que são meus instrumentos de trabalho. Não gosto de academia. Nadei profissionalmente dos 12 aos 16 anos e, como tive que optar entre teatro e natação, escolhi o teatro. Ainda nado uma ou duas horas, três vezes por semana.

7 - O que o atrai em uma mulher?

Juliana Barreto, Aracaju (SE)

Ser sincera, dependente e independente ao mesmo tempo. Gosto de mulheres fortes. A Janaína é uma menina independente, mas é bom saber que a pessoa conta com você. Gosto de loiras, morenas e também de meninas com tatuagens grandes.

8 - Você segue alguma religião?

Maurício Barbosa, Salvador (BA)

Não, mas acredito em Deus. Rezo, tenho minha maneira de pensar e ver a vida, mas tenho curiosidade em cima de religiões.

9 - Que conselho daria a um jovem que quer ser ator?

Fernando Azevedo, Paraty (RJ)

Estudar, ter dedicação. Antes de entrar na novela Eterna Magia, em 2007, fiz 15 testes na Rede Globo. É fácil fazer um personagem, mas manter uma carreira, um nível de atuação é complicado e não tem preço. O ator tem que saber de tudo, ler muito, estar conectado. E não desistir.

10 - Como foi a mudança para o Rio de Janeiro?

Luana Tavares, Marília (SP)

Senti bastante diferença porque é outro estilo de vida, o paulista está sempre correndo, tudo começa mais cedo, e aqui é tudo mais saudável, a qualidade de vida é melhor. Meu lugar preferido é a Lapa, porque não existe nada parecido em São Paulo. É descolado e tem de tudo. Você vê um travesti, uma patricinha, um cara do reggae, um roqueiro e todos convivem no mesmo ambiente.

Fonte: Quem, revistaquem.globo.com