Juíza condena acusados de matar líder do AfroReggae

Juíza condena acusados de matar líder do AfroReggae

Justiça estabelece pena de até 24 anos de reclusão

A juíza Simone de Faria Ferraz, em exercício na 16ª Vara Criminal da capital, condenou nesta segunda-feira (17) Rui Mário Maurício de Macedo e Reginado Martins da Silva, acusados de matar Evandro João da Silva, coordenador do grupo AfroReggae, em outubro de 2009.

?O que sobressai dos autos é que os réus perpetraram o hediondo crime de latrocínio. Ao contrário do alegado pela defesa, em sintonia, a prova colhida é robusta?, escreveu a juíza em sua decisão.

Segundo nota divulgada pelo Tribunal de Justiça do Rio, Rui Mário, conhecido como Romarinho, foi condenado a cumprir a pena de 24 anos de reclusão. Desse total, 21 anos e seis meses são relativos à condenação pelo crime de latrocínio (roubo seguido de morte), a serem cumpridos em regime fechado, mais um ano de reclusão referente às circunstâncias agravantes, como motivo torpe. Quanto ao crime de receptação, Romarinho foi condenado a um ano e seis meses, que deverá ser cumprido em regime semiaberto.

Já Reginaldo foi condenado à pena de 21 anos e seis meses de reclusão, sendo 20 anos e seis meses pelo crime de latrocínio, em regime fechado, e um ano pelo crime de receptação, em regime prisional aberto.

Câmeras flagraram assalto

O caso ganhou repercussão nacional após o assassinato ser registrado por câmeras de segurança de estabelecimentos do Centro do Rio. As imagens mostraram o assalto que terminou com a morte de Evandro João da Silva, então com 42 anos, e revelaram ainda a omissão da polícia no socorro à vítima.

Os policiais militares Dennys Leonard Nogueira Bizarro e Marcos de Oliveira Sales, acusados de ter omitido socorro ao coordenador do AfroReggae, foram denunciados pelo Ministério Público pelos crimes de prevaricação e furto qualificado.

Fonte: g1, www.g1.com.br