Justiça condena concessionária por morte de Claudinho

Justiça condena concessionária por morte de Claudinho

Claudinho morreu no dia 13 de julho de 2003, vítima de uma acidente de trânsito na rodovia.

A Justiça de São Paulo condenou a concessionária Nova Dutra a indenizar a viúva do cantor Cláudio Rodrigues de Mattos, da dupla Claudinho e Buchecha, em razão do acidente que culminou em sua morte em 2003 na Via Dutra, perto da cidade de Seropédica (RJ).

O juiz Daniel Toscano, da 6ª Vara Cível de São José dos Campos, no Vale do Paraíba, interior de São Paulo, estipulou uma indenização de R$ 13.460,39 pelos danos causados ao veículo, uma pensão mensal de R$ 2.051,23 até a autora completar 70 anos e R$ 500 mil pelo dano moral sofrido. Cabe recurso à decisão.

Claudinho morreu no dia 13 de julho de 2003, vítima de uma acidente de trânsito na rodovia. O caso foi julgado em São Paulo porque ele havia acabado de deixar um show em Lorena, também no Vale do Paraíba.

A viúva entrou com uma ação contra a concessionária por considerar que o acidente aconteceu em razão de irregularidades na via (existência de mureta no acostamento e de uma árvore a apenas dois metros do obstáculo, sem qualquer tipo de proteção) e que a morte prematura dele provocou danos materiais e morais.

Como dano material, ela requereu o ressarcimento do valor do conserto do veículo e o pagamento de pensão. Pleiteou também uma compensação pecuniária pelo abalo psíquico causado pela morte do companheiro e pai de sua filha.

?Se somos obrigados a pagar pedágios semelhantes aos cobrados em países desenvolvidos, que sejamos contemplados, em contrapartida, com rodovias de países desenvolvidos. Consignando ainda que a ré administra a rodovia há mais de uma década, tendo tempo suficiente para erigir as obras protetivas?, disse o juiz, na decisão.

No processo, a empresa apresentou defesa dizendo que o acidente ocorreu por culpa exclusiva do condutor do veículo, que dirigia em alta velocidade, dormiu ao volante e fez uso inadequado do acostamento. Procurada nesta terça-feira (19), a Nova Dutra disse que não irá se pronunciar sobre a decisão.

Fonte: g1, www.g1.com.br