Luciano revela que filho já foi internado e pagou conta com relógio falso em boate

Luciano revela que filho já foi internado e pagou conta com relógio falso em boate

Luciano abre o jogo: "Abro a gaveta e só tem remédio, e só tarja preta"

O sertanejo Luciano concedeu uma entrevista franca durante o cruzeiro "É o amor", em que se apresenta ao lado do irmão, Zezé di Camargo.

O cantor revelou que será avô, comentou sobre os problemas que enfrenta com o filho mais novo, que chegou a se envolver com drogas e a pagar contas com um relógio falso, e falou sobre os remédios de tarja preta que consome. Confira abaixo os melhores trechos da entrevista:

Homem repara em celulite??

Luciano: Acho que não repara não, homem repara em bunda mesmo, porque eu acho que é natural, mulher tem que ter. Homem que é privilegiado. Eu nem olho isso. Também não olho porque sou casado.

Nao vai para a balada aqui no cruzeiro?

L.: Não vou pra balada porque termino todos os shows passando mal. Depois dos shows eu falo com os fãs, promoções e vou direto dormir. E até dormir é um transtorno, porque eu passo mal.

Mas a Flavia vai sozinha, não é?

L.: Ela não vai sozinha, ela vai sem mim, com umas 15 pessoas só pra cuidar dela. Nós adoramos balada, mas não tenho condições de ir aqui, eu passo mal.


Luciano revela que filho já foi internado e pagou conta com relógio falso em boate

Gosta de balada quando está em terra firme?

L.: Eu vou para balada, cinema, jantar. Toda semana tem um restaurantezinho para conhecer. Nós somos casados, mas vivemos como namorados, temos nossas datas preferidas... Agora mesmo, nos Estados Unidos, a gente estava lá e teve o dia dos namorados, aí demos um jeito, saímos para namorar, sem filhos, sozinhos. Isso porque a gente estava em um grupo com 20 pessoas. Tem que ter isso, porque se não, amanhã você passa a ser amigo e não sabe porque.

Quando viaja consegue fazer academia, muai thay?

L.: Quando eu viajo, eu engordo tudo de novo (risos). Tenho uma casa no condomínio dentro da Disney que tem uma academia maravilhosa, mas como não tenho professor eu só faço esteira. Mas dessa vez eu extrapolei, engordei uns 6 quilos, além do que já era costume engordar. Na verdade acho que foram 10 quilos. Mas eu faço muai thay, mesmo porque depois do episódio que teve o ano passado (quando eles quase terminaram a dupla), o meu médico me pediu para praticar algum esporte. Ele disse: ?você tem duas opções, ou você briga ou você luta?. Eu preferi lutar. Mas acho que eu tenho que procurar mais alguma luta, porque eu ando brigando muito com as pessoas ainda. Eu sou muito briguento. Para mim tudo é a ferro e fogo. Sinceramente, eu sou muito correto, com horário, com tudo. Se me perguntarem: ?Luciano, tem alguma conta para pagar?? Não tem nenhuma, não devo nada para ninguém, então eu quero ser correto e que as pessoas sejam corretas comigo também. Eu não tenho esse jogo de cintura de brasileiro, comigo é na porrada mesmo. Até hoje, todas as desavenças que eu já tive profissionalmente é porque eu não tive jogo de cintura. Eu brigo por aquilo que eu acho correto. O cara quando quer brigar, ele sente. Então ele não pode dirigir naquele dia, se ele dirigir vai sair briga. Não dirijo, não saio de casa, tomo meu remedinho de manhã. Estou parecendo aqueles velhinhos, abro a gaveta e só tem remédio, e só tarja preta. Um dos remédios mexe com a minha libido, então eu deixo ele de lado, não tomo não. Só no fim de semana, quando estou fora de casa, porque aí não preciso da minha libido. Psiquiatra e mulher não fazem mal nenhum para a gente. Eles são as melhores coisa do mundo, me deixam calmo, feliz.

Você ia gostar se suas filhas mais novas começassem a ouvir músicas que falam de cachorras, e gostassem de ser tratadas assim?

L.: Não, até ai Jesus já vai ter voltado (risos). Não vai ter isso. E elas vão ter em casa um serviço de qualidade. Vão olhar para o pai e ver como ele idolatra e trata a mãe, ai vão falar: ?esse é o homem que eu quero para mim, não aquele que esta falando das cachorras?. Não tenho essa preocupação não. Acho que tudo é uma questão de educação. O que me preocupa é o dia a dia, como o jovem esta se formando hoje. O que faz esses jovens assim não é a música, são as drogas, as baladas. Meu filho completou 18 anos e nem tirou carteira de motorista, não quer nem carro. Eu ensinei para ele que isso não é o mais importante. O importante é ele ter uma boa convivência com a família, com a mãe dele. Meu filho não bebe, é contra bebida, droga. O mais novo. O mais velho eu já tive problema até com clínica, mas tudo bem. Na minha casa eu vivo entre a tempestade e a bonança. De um lado tem um me trazendo a bonança e o outro a tempestade. Vou ser avô! Pode um trem desse com 40 anos? Esse é o meu filho que me traz tempestade! Eu já falei para ele: eu não vou ser avô. Você que vai ser pai. Quando a minha neta me chamar de avô eu vou dizer: ?vai indo que eu te encontro lá na frente?. Mas eu falo isso brincando. Eu disse para ele, a ajuda que eu te dou mensalmente não vai mais para você, vai para a sua filha. Agora o outro (filho) não. Quando quiser o carrinho dele novinho vai ter, o apartamento montado. Porque só me traz bonança. O outro vai colher tempestade. Eu amo os dois, mas não posso deixar de ser rígido com aquele que está errado. Não é porque é meu filho que vou deixar fazer coisa errada. Ele já bateu o carro três vezes e quase morreu, já foi pra clínica de drogas... Eu vou passar a mão na cabeça dele? Não vou!!! Ele foi para a Royal, uma discoteca que é do Marcos Buaiz (marido de Wanessa), em Goiânia, e pagou a conta com um relógio falso. Eu quero matar! E ainda fala: Sabe quem é meu pai??

O Zezé foi eleito o vovô mais gostoso do Brasil, você vai roubar o posto dele?

L.: Eu vou ser o vovo mais gordinho do Brasil (risos).

Fonte: Quem