Luiza Brunet revela que já fumou maconha e fez sexo com mulher

Luiza Brunet revela que já fumou maconha e fez sexo com mulher

A experiência não foi tão boa assim e ela mesma tratou de deixar as coisas claras e não levar o romance adiant

A vida de Luiza Brunet, de 51 anos, sempre foi um livro aberto. Do pai alcoólatra ao abordo, a eterna musa sempre falou abertamente sobre tudo. Ou quase! Um segredo que ela guardou a sete chaves durante anos vem à tona somente agora, mais de 30 anos depois, em sua biografia autorizada ?Luiza?, da jornalista Laura Malin. No livro recém-lançado, a atriz revela que beijou e teve uma noite de amor com uma mulher, aos 17 anos, num hotel em Salvador.

?Dividia o quarto com uma modelo que se tornou minha amiga e não gostava de badalação. Todas as outras saíam para jantar após os desfiles, mas nós duas voltávamos para o quarto. Pedíamos um sanduíche, conversávamos e íamos dormir cedo. Certa vez acordei no meio da noite. Ela estava na minha cama e me abraçava por trás. Senti seu perfume e, em seguida, seu beijo. Fiquei extremamente confusa: eu jamais a havia considerado além de amiga?, narra Luiza no capítulo intitulado de ?Meu corpo, minha empresa?.

Mas a experiência não foi tão boa assim e ela mesma tratou de deixar as coisas claras e não levar o romance adiante. ?Nunca passara pela minha cabeça que pudesse haver, da parte dela, um interesse maior. Mas havia e eu me deixei levar. O problema foi que, já no dia seguinte, soube que não sentia por ela o que ela sentia por mim. Na minha cabeça, a coisa tinha acontecido uma vez e não se repetiria. Para ela, aquilo poderia significar o início de um relacionamento?, continuou.

A mãe de Yasmim, que relata nas páginas a experiência homossexual que teve com uma modelo, também admite que já experimentou drogas. ?Fumei maconha, mas passei mal, com enjoo e pressão baixa, e jamais quis provar novamente?, revelou ela, no capítulo ?Meu corpo, minha empresa?.

Essa foi a única experiência com drogas que Luiza afirma ter dito na vida. ?Drogas eram muito comuns naquela época. Não se sabia que o cigarro fazia mal à saúde, da mesma maneira como a cocaína era a droga da euforia e não tinha a conotação negativa que veio a ter depois. Acho que, por causa do histórico do meu pai (alcoólatra), tive muito medo de experimentar qualquer coisa?, explicou na biografia.

Fonte: Extra