Mais da metade de argentinos torcem por Dilma

Segundo levantamento, 51% dos entrevistados disseram preferir a petista para suceder Lula

Uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira (1º) em Buenos Aires, capital argentina, indica que 51,3% dos habitantes do país vizinho preferem que a petista Dilma Rousseff seja eleita para suceder o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, seu colega de partido.

A sondagem, feita pela empresa de consultoria Ibarómetro, mostra o tucano José Serra na segunda colocação, mas bem distante da adversária. Ele conta com a preferência de apenas 6,4% dos argentinos. Outros 42,3% disseram que não têm opinião sobre a corrida presidencial brasileira.

O instituto que fez a pesquisa entrevistou mil pessoas com idade superior a 18 anos em diversas cidades argentinas. A margem de erro do levantamento é de 3,1%.

No Brasil, pesquisa Ibope divulgada na última quarta-feira (29) mostrou Dilma à frente, com 50% das intenções de voto, contra 27% de Serra e 13% de Marina Silva (PV).

A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Brancos e nulos somam 4%, mesmo índice dos que não souberam dizer ou não responderam. Os outros candidatos, juntos, chegaram a 1%.

Considerando apenas os votos válidos, quando são excluídos brancos e nulos, Dilma ficou com 55%, contra 30% de Serra e 14% de Marina.

Caso este panorama se confirme no domingo (3), a petista será eleita já no primeiro turno. A sondagem foi feita a pedido da CNI (Confederação Nacional da Indústria) e seu número de registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é 33.162/2010.

Fonte: R7, www.r7.com