Rio: Mais de 3 mil pessoas estão em abrigos

Em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos, onde também ocorreram inundações

Um levantamento da Defesa Civil do estado revela que, até a manhã desta segunda-feira (8), 3.048 pessoas continuam em abrigos devido ao temporal que atingiu o Rio no fim de semana.

Deste total, 3.015 estão desalojadas e 33 pessoas estão desabrigadas. Segundo a Defesa Civil, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, apesar de a água já ter começado a baixar, ainda há diversos pontos alagados. O município é o que concentra o maior número de vítimas da chuva: são 2.905 mil desalojados. As inundações ocorreram nos bairros Jardim Catarina Velho e Novo México.

Em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos, onde também ocorreram inundações, 94 pessoas estão desalojadas e 8 estão desabrigadas.

Já em Saquarema, também na Região dos Lagos, são 10 desalojados e 25 desabrigados. A Defesa Civil municipal mantém interditadas, preventivamente, dez residências.

O levantamento informa ainda que no município do Rio de Janeiro há 6 desalojados. As chuvas fizeram seis vítimas fatais, quatro no Rio e duas em Niterói.

A a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) para esta segunda-feira (8) é de temperatura elevada e possibilidade de chuvas isoladas. Não há previsão de chuvas intensas.

O Inmet informou ainda que, por causa da ressaca do mar, as ondas podem chegar a 3 metros de altura.

No sábado (6), em 5 horas, choveu no Rio o equivalente ao índice pluviométrico total do mês de março de 2009, que foi de 109,2 mm. A informação é da Defesa Civil do município.

Niterói, Anchieta e Rio Comprido tiveram vítimas fatais

Em Anchieta, no subúrbio, três casas foram atingidas por um deslizamento de terra. Rosângela da Silva Souza, de 48 anos, e a neta Gabriela da Silva Souza, de 3 anos, não resistiram ao deslizamento. Elas serão enterradas nesta segunda-feira (8), no Cemitério de Olinda, em Nilópolis, na Baixada Fluminense

Em Niterói, na Região Metropolitana, Maria Auxiliadora da Silva, de 47 anos, e Luis Henrique de Sá, de 10 anos, morreram após o desabamento de uma casa, provocado pelo deslizamento de terra, no bairro de Cubango. Ela será enterrada no Cemitério de Maruí, no Barreto, em Niterói. O horário ainda não foi divulgado.

As outras duas vítimas fatais em consequência da chuva eram moradoras do Rio Comprido, na Zona Norte. Os corpos da doméstica Roseane Coelho Monteiro Lima, de 33 anos, e o da dona de casa Waldete Santos da Silva, de 27 anos, continuam no Instituto Médico Legal (IML).

O resgaste de Waldete durou cerca de 19 horas. O marido dela, o pedreiro Paulo sérgio Policarpo, acompanhou as buscas, ao lado dos moradores.

Fonte: Globo, www.globo.com