Meninos de 10 e 11 são julgados por estupro

Os garotos, que não podem ser identificados por causa de sua idade, negam as acusações

Dois meninos, de 10 e 11 anos, começaram a ser julgados nesta quarta-feira em Londres sob a acusação de estuprar uma menina de 8 anos em outubro do ano passado, quando brincavam perto de suas casas no oeste da capital britânica.

A menina, que brincava com sua irmã, contou depois à mãe que tinha sido levada pelos meninos a um bloco de apartamentos onde teria ocorrido o ataque.

Os garotos, que não podem ser identificados por causa de sua idade, negam as acusações. Eles estão entre os mais novos já julgados por estupro na Grã-Bretanha.

Os horários do julgamento foram encurtados e outras medidas foram tomadas por conta da pouca idade dos réus.

Durante o julgamento, o juiz do caso está se sentando onde os funcionários da corte normalmente se sentam, para estar no mesmo nível dos meninos.

Conhecidos

Segundo as informações relatadas ao júri do caso no início do julgamento, todas as crianças moravam na mesma região e se conheciam.

A mãe da menina saiu em busca da filha após a filha mais nova voltar para casa sem a irmã. Ela a teria então encontrado com os meninos, segundo a promotora Rosina Cottage.

"Este caso tem relação com um estupro cometido por dois meninos que ainda estão na escola primária, contra uma menina ainda mais nova que eles", disse a promotora.

"Juntos eles a levaram para diferentes lugares perto de onde eles viviam para encontrar um local suficientemente protegido para atacá-la", relatou Cottage.

Segundo a promotora, quando a mãe e a irmã mais nova da vítima saíram à sua procura, encontraram a mãe do réu mais novo e um amigo de cinco anos das crianças.

Quando a mãe do garoto perguntou ao menino de 5 anos onde estava seu filho, ele disse que ele estava "num terreno próximo com a garota e que a estava machucando".

As mulheres se dirigiram então ao terreno apontado pelo garoto. A mãe da menina disse tê-la visto e percebido que "as coisas não estavam bem com ela".

Segundo a promotora, os garotos teriam levado a menina primeiro a um depósito de lixo num bloco de apartamentos, onde a teriam atacado, e depois a teriam atacado novamente no terreno, para onde a levaram após terem percebido movimentos de outras pessoas do lado de fora do depósito.

Fonte: Terra, www.terra.com.br