39 candidatas com manequim superior ao 46 disputam Miss Plus

"Apologia a obesidade não. A ideia desse evento é brindar a beleza da mulher brasileira", disse um dos organizadores.

Concurso que elege a mulher mais bela, com manequim acima do 46 tem nome: "Miss Plus Size Carioca 2011". Todas as 39 candidatas, que desfilarão a partir de 19h deste domingo (23), na Lona Cultural Jacarepaguá, zona oeste do Rio, sonham em levar a coroa para a casa, mais joias, hospedagem em hotel fazenda, óculos de sol, roupas, sapatos e bolsas, entre outros presentes.


39 candidatas com manequim superior ao 46 disputam Miss Plus

"Apologia a obesidade não. A ideia desse evento é brindar a beleza da mulher brasileira, real, curvilínea" diz o organizador, Eduardo Araúju, 50, para quem a noite será de ?puro glamour?. O corpo de jurados que escolherá a mais bela é formado por jornalistas, empresários, estilistas e fotógrafos irá escolher a nova miss.

?Não deixem que os quilinhos a mais impeçam de serem lindas, vaidosas e que se amem". O recado é da atual Miss Plus Size Carioca, Tatiana Gaião, que levou o título em 2010 e teve sua vida transformada. ?Me tornei uma pessoa muito mais feliz e realizada, com a autoestima lá em cima? diz.

A candidata Aline Cardoso, estudante de administração, disputará o primeiro concurso de sua vida. Casada há quatro anos, ela diz ter ficado gordinha após o casamento. ?Já pesei 60kg, hoje estou com 86kg?. Aline afirma que os ensaios para o dia estão sendo "puxados".

"Sou de Nova Iguaçu, na Baixada. Vou defender minha cidade, quero ver meu marido na primeira fila, torcendo por mim. No trabalho, sou chamada até de miss já. O clima dos ensaios é de muita diversão. Já treinamos a coreografia, é um pouco tenso, nunca fiz isso, desfilar não é algo fácil?, afirma.

Ciúme e sonhos

Já Camila Gonçalves, 23, casada há cinco anos, afirma que o marido inicialmente ficou com ciúme por conta do desfile de lingerie, mas depois entendeu a dinâmica do concurso. "Carioca da gema", Camila nasceu no bairro de Guadalupe e acredita que para as gordinhas no Rio o desafio de ser uma modelo Plus Size é maior.

"Antes eu não acreditava que era possível ser modelo. Aqui no Rio existe um padrão e além de ser magra, tem a questão der ser sarada. Entretanto não existe um padrão de beleza para você ser feliz. A sociedade impõe isso. Você tem que ser feliz consigo mesmo, isso que é bonito" diz Camila, que acredita que o concurso abrirá várias portas e os olhos das indústrias de confecções para as mulheres que vestem um tamanho GG.

Marcela Motta, 27, dentista de Niterói (região metropolitana do Rio de Janeiro) afirma que não resistiu à dieta pré-concurso e comeu chocolate. "Quem resiste, né?" indaga. Ela afirma que seus amigos já estão na torcida e espera "arrasar no concurso".

A paulista Fabiana Gameiro, que se mudou para o estado do Rio há quatro anos, relata que a experiência de ser uma candidata é muito emocionante. Ela recebeu o apoio incondicional do marido nessa empreitada.

"Participar do concurso Miss Plus Size Carioca é super legal. Eu sempre tive o sonho de ser miss, ficava com essa vontade enrustida. Hoje penso que uma porta que pode se abrir. Meu esposo Felipe sempre me pedia para eu mandar fotos para agências, tentar um trabalho como modelo, mas eu nunca quis, Esse ano resolvi participar", afirma Fabiana.

Fonte: UOL