Anabolizantes podem causar danos cerebrais

Alterações nos níveis de serotonina provocam agressividade e ansiedade

O uso de anabolizantes diminui a produção de receptores de serotonina em regiões do cérebro relacionadas ao controle da agressividade. Essa é a conclusão de uma pesquisa feita pelo Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), em São Paulo.

A serotonina, uma substância responsável por controlar emoções fortes, não pode passar suas informações de um neurônio para outro sem o receptor. Por isso, usuários de "bombas", como são chamados os anabolizantes, têm grande chance de se tornarem mais impulsivos, agressivos e ansiosos. Para a serotonina atuar no cérebro, ela precisa de proteínas receptoras.

Como primeiro passo para fabricá-la, os neurônios produzem o ácido RNA mensageiro. Os pesquisadores perceberam que a quantidade de RNAs mensageiros produtoras desses receptores de serotonina era entre 37% a 66% menor em usuários de anabolizantes. Para realizar a pesquisa, dois grupos foram observados. Um dos grupos recebeu o anabolizante nandrolona por 28 dias.

As doses foram semelhantes às usadas em academias 10 a 100 vezes maiores do que as utilizadas pelos médicos em tratamentos. Depois desse período, foram analisados os neurônios de três regiões do cérebro: hipocampo, hipotálamo, córtex pré-frontal e amígdala. A partir do 16° dia recebendo injeções diárias de nandrolona, os pacientes foram submetidos a uma série de testes de comportamento.

Os que receberam o anabolizante tiveram mais sinais de ansiedade em situações desconhecidas, foram mais impulsivos e mostraram maior agressividade. Cerca de 75% dos pacientes que receberam anabolizantes reagiram agressivamente aos estímulos dos pesquisadores , enquanto somente 30% do outro mostrou o mesmo comportamento.

Segundo informações do Centro Brasileiro de Drogas Psicotrópicas (CEBRID), o Deca-durabolin é um dos anabolizantes mais utilizados no país. Um levantamento do Centro realizado em 108 cidades, em 2005, mostra que 0,9% da população já utilizou anabolizantes alguma vez.

Os maiores consumidores são homens entre 17 e 34 anos e o uso é maior na região Sudeste. O uso de anabolizantes aumentou 201 % (triplicou) entre 2001 e 2005. Muitas pessoas recorrem aos anabolizantes, cujo uso é proibido, para "inflar" os músculos. Na prática, essas substâncias não oferecem nenhum benefício além do que você conseguiria treinando normalmente.

A diferença está apenas no tempo em que os resultados começam a aparecer (e a sumir quando o consumo é, felizmente, interrompido). Cerca de um mês depois de treinar, já é possível perceber o aumento nos músculos de uma pessoa que consome esteroides. Os anabolizantes agem aumentando a síntese de proteínas realizada pelo organismo (as proteínas são os nutrientes responsáveis pela construção de massa magra). Com isso, aumentam os músculos, a força e a potência do aluno. Com mais força, você aguenta pegar mais pesado nos exercícios e o ciclo se repete.

Fonte: minhavida