Anticoncepcionais podem estar afetando a maneira que a mulher vê o homem

os próprios cientistas envolvidos acreditam que ainda há muito o que se entender sobre os efeitos colaterais

 Na década de 60 a mulher era apenas coadjuvante na questão de prevenção de gravidez. Podia contar somente com a tabelinha ou com a disposição do marmanjo em conseguir se conter na hora H.

Ao mesmo tempo, as moçoilas babavam com tipos másculos e machões nas telas de cinema como Kirk Douglas, Sean Connery, Steve McQueen, Paul Newman, Marlon Brando, Rock Hudson (ok, na época ele ainda era um símbolo masculino) e Burt Lancaster. Eis que surge a pílula anticoncepcional e finalmente o público feminino tem o ato sexual em suas mãos.

Quarenta anos depois cientistas começam a estudar se os hormônios na pílula estão fazendo as moças preferirem homens mais feminilizados ou com ar mais infantil. Se a teoria estiver certa, talvez explique porque hoje elas babam por tipos metrosexuais e andróginos como Johnny Depp, Brad Pitt, Leonardo de Caprio, Jude Law, David Beckham ou Zac Efron.

A pesquisa, feita pela Universidade de Sheffield na Inglaterra e publicada no periódico especializado Trends in Ecology and Evolution, não é conclusiva. Na verdade, os próprios cientistas envolvidos acreditam que ainda há muito o que se entender sobre os efeitos colaterais das pílulas.

Alguns estudos anteriores foram levados em conta, porém para se construir essa teoria. É sabido, por exemplo, que as mulheres quando estão no período da ovulação - o período fértil - preferem homens com aparência mais masculina ou "geneticamente diferentes" (cuja aparência se distancia bastante daquela de uma mulher).

Já nos momentos não-férteis, as moças tendem a se voltar para caras com um look mais feminilizado ou infantil. Uma vez que com a pílula, a mulher não tem período fértil, então os hormônios não as levariam a buscar homens mais "broncos". Existe também o caminho inverso. Estudiosos já mostraram que no período fértil o público feminino torna-se mais atraente aos moços, provavelmente devido a resquícios do passado instintivo da humanidade que envolvem perfume natural e comportamento para chamar a atenção para a fertilidade.

Os anticoncepcionais também podem ter cortado esse ritual. Enfim, segundo o Dr. Virpi Lumma, co-autor do estudo, isso é apenas o começo, já que existem crescentes pesquisas em torno do quanto a pílula está alterando os hábitos de acasalamento do ser humano e sua habilidade de se reproduzir. Quanto aos artistas de Hollywood, que tal a ciência explicar porque Keanu Reeves faz sucesso?

Fonte: Terra, www.terra.com.br