Cérebro dos apaixonados evita o adultério

O estudo consistiu em solicitar a alguns voluntários que escrevessem previamente um texto sobre o amor que sentiam por seu parceiro

Sabe aquela conversa de que o amor é cego? Pode ser que seja mesmo verdade, de acordo com uma pesquisa conduzida pela Universidade da Florida. Os cientistas mediram a atenção de 113 homens e mulheres a fotos de pessoas atraentes e constataram que os apaixonados ignoraram as imagens dos bonitos em questão.

O estudo consistiu em solicitar a alguns voluntários que escrevessem previamente um texto sobre o amor que sentiam por seu parceiro. Aos outros foi dada a tarefa de escrever sobre felicidade. Após essa etapa, imagens de pessoas bonitas foram mostradas aos dois grupos. Os que escreveram sobre amor e consequentemente foram forçados a pensar a respeito, não conseguiram fixar a atenção às imagens das pessoas atraentes por muito tempo.

O resultado da pesquisa pode estar associado ao funcionamento do neurocórtex, que no caso dos apaixonados, repele pessoas muito atraentes. De acordo com os cientistas isso acontece por razões evolutivas, que se beneficia da monogamia. E adivinhem só: nos homens apaixonados o mecanismo ?repelente de bonitas? é quatro vezes mais forte do que nas mulheres.

Fonte: Terra