Cientista revela ser prostituta que fez sucesso em Blog

Brooke Magnanti, que diz ter trabalhado como prostituta de luxo para bancar seus estudos de doutorado

Uma ex-prostituta que divulgava suas memórias em um famoso blog - transformado em série de TV - causou furor na Grã-Bretanha ao revelar sua identidade, mantida em segredo por seis anos. A autora do blog The Intimate Adventures of a Call Girl ("As Aventura Íntimas de uma Garota de Programa"), que assinava sob o pseudônimo de Belle De Jour - alusão ao filme homônimo em que Catherine Deneuve faz o papel de uma jovem rica que frequenta um bordel - é uma oncologista de 34 anos da cidade de Bristol, especialista em câncer infantil.

Brooke Magnanti, que diz ter trabalhado como prostituta de luxo para bancar seus estudos de doutorado, resolveu revelar sua identidade ao jornal The Sunday Times porque não queria mais "esse segredo massivo" pesando sobre seus ombros. Desde o lançamento do blog, em 2003, a identidade da Belle de Jour era grande motivo de especulação entre leitores do blog, internautas, jornais e especialistas em literatura. Suspeitava-se que o autor fosse um jornalista famoso.

O enorme sucesso do blog despertou interesse de editoras e do canal de TV aberta ITV, que lançou, em 2007, a minissérie Secret Diary of a Call Girl (Diário Secreto de uma Garota de Programa), estrelada por Billie Piper.

Brooke disse ao Sunday Times que trabalhou como prostituta de 2003 até o final de 2004, uma atividade que considerava "bem mais agradável" do que um outro emprego que mantinha, de programadora de computador. Ela cobrava 300 libras por hora por seus serviços - das quais ficava com 200 libras para manter seus estudos de doutorado em informática, epidemiologia e ciências forenses. Também declarou ter mantido relações sexuais com "centenas de homens".

Com o dinheiro levantado com as adaptações de seu blog para um livro e a série de TV, Brooke largou a carreira de prostituta e hoje trabalha em um programa de pesquisa de saúde infantil de um hospital da Universidade de Bristol.

Um porta-voz da universidade afirmou que "esse aspecto do passado da Dra. Magnanti não é relevante para o seu atual papel na universidade" e que as revelações não afetariam suas futuras chances de contratação.

Fonte: Terra, www.terra.com.br