Colar cresce; bolsas diminuem o tamanho

Acessórios são peças imprescindíveis para a próxima estação

Colares enormes e bolsas menores. Estas são algumas das principais tendências apresentadas na 14ª edição da mostra/acessórios+ design, feira de negócios que acontece entre os dias 4 e 7 deste mês, na Fecomércio, em São Paulo, que terá cerca de 90 expositores. Com peças para o próximo verão, o evento reafirma as opções apresentadas na passarela.

A consultora Débora Gelman, uma das organizadoras do evento, lembra que os acessórios grandes (além de colares, também os braceletes e brincos), são peças imprescindíveis para a próxima estação. "As peças únicas e feitas à mão estão cada vez mais em evidência e a mostra busca esse diferencial. Afinal, é só colocar um colar grande sobre uma roupa básica que o visual fica outro." Para usar, a velha dica: escolher apenas uma peça grande, para ficar exagerado.

Os materiais são os mais variados: fibras de seda, resina, pedras, metais, banhos de ouro e até ímã, que garante a montagem de peças diferentes pela própria pessoa. Peças multifuncionais também são muito vistas, como colares que viram cintos ou enfeites de cabeça.

Em compensação, as bolsas ficam menores, mas não tanto. O tamanho médio e os modelos de segurar na mão estão entre as principais apostas. O detalhe, porém, é que vêm também com outras alças para pendurar nos ombros. "Os tons de azul são fortes para a estação, junto com caramelo, bege, fendi e pink. O matelassê também aparece muito. E além desses modelos, as carteiras estão em evidência".

Projetos

Entre os destaques do evento está o trabalho realizado por Thiago de Souza, de 14 anos. O garoto faz parte do projeto Idade Zero, uma incubadora de talentos da mostra, que a cada edição abre espaço para um designer novo. O garoto produz colares a partir da mistura de materiais, como pedras, resina, pontos de macramê etc.

A cada edição a organização seleciona um projeto social para participar da feira. Desta vez, será a Filó de Luxo, da estilista Meire Lima, que trabalha com uma associação de mulheres carentes da Zona Sul de São Paulo.

Fonte: Terra