Como fazer a barba e não prejudicar a pele

A primeira coisa a fazer é escolher o método de barbear.

Quem disse que homem também não sofre para ficar bonito? Ou alguém acha que a missão de se barbear todos os dias é das mais agradáveis? Agradável ou não, fato é que eles precisam tornar esse ato o menos agressivo possível para a pele. Para isso, é essencial tomar alguns cuidados que podem evitar inflamações e infecções, a chamada foliculite, e, ainda, sinais de espessamento e envelhecimento da pele.

A primeira coisa a fazer é escolher o método de barbear. Se a opção foi por barbeador elétrico, utilize-o após o banho, já com a pele bem seca e fazendo movimentos suaves. Em seguida, use um gel pós-barba, que contenha substâncias antissépticas e calmantes, como camomila, bisabolol e diene. Não se pode esquecer de, no final, fazer uma boa limpeza no aparelho.

Se o rapaz optar por lâminas, o primeiro passo para um bom resultado é o tipo que vai usar. Dê preferência aos aparelhos com duas ou três lâminas, em paralelo, mais acessíveis, pois o ideal é utilizá-los no máximo duas ou três vezes. Dessa forma, garante-se o corte afiado o suficiente para evitar que se passe a lâmina de três a quatro vezes na mesma região.

Nessa opção, ainda é importante observar o sentido do crescimento dos pêlos e sempre passar o aparelho na mesma direção. ?É preferível barbear-se diariamente só no sentido do crescimento do fio do que fazer a barba a cada dois ou três dias ?escanhoando?. Dessa forma, a pele ficará muito machucada?, avisa Fabiana Pietro, dermatologista especializada em medicina estética.

Outra dica da especialista é misturar ao gel, espuma ou creme de barbear um pouco de condicionador de cabelos ou gel para pentear sem álcool. Segundo Fabiana, essa combinação forma uma película sobre a pele, facilitando o deslizamento e a agredindo menos. ?Além disso, se a barba for feita após o banho ou a sauna, os poros estarão mais dilatados, o que facilitará o corte do pelo?, diz. No final, é indispensável o uso de um gel pós-barba com antissépticos e calmantes e hidratantes (Alfa-bisabolol; drieline e aquassome A/E).

Quando o homem toma esses cuidados, o risco de pêlos encravados e infecções diminui consideravelmente. Mas se mesmo assim esses problemas surgirem, eles devem ser tratados com o uso de sabonetes abrasivos (esfoliantes) e fórmulas que contenham ácido glicólico ou retinóico, ácido salicílico e papaína, prescritas por um dermatologista. ?Mas em alguns casos, somente com a ajuda de antibióticos tópicos, como eritromicina ou clindamicina, e até mesmo via oral, dependendo da gravidade, eles saram?, ressalta a médica.

Muito usada por modelos, a depilação com cera é uma opção com efeito mais duradouro e que apaga qualquer sinal de pêlos. A desvantagem é a famosa dor causada pelo método. Mas se mesmo assim ele for o escolhido, use cera quente, não reaproveitada, e, logo depois, produto calmante e antisséptico.

Fonte: Terra, www.terra.com.br