Daniele Suzuki pratica ioga em sala a 40ºC: "É uma superação a cada aula"

Daniele Suzuki pratica ioga em sala a 40ºC: "É uma superação a cada aula"

Atriz fala sobre a descoberta da Bikram Yoga e de seu atual processo de autoconhecimento, após a separação: "Não me sinto uma mulher solteira".

Daniele Suzuki demorou um ano e sete meses para retomar sua rotina de exercícios, após o nascimento do filho, Kauai. E caprichou. A atriz e apresentadora, de 35 anos, é a mais nova adepta da Bikram Yoga, modalidade também conhecida como hot yoga, que consiste na realização de 26 posições e dois exercícios de respiração em uma sala a 40ºC, durante 90 minutos. Em entrevista, ela conta que seu primeiro contato com a atividade física aconteceu durante uma temporada na casa da irmã, nos Estados Unidos, e que os benefícios foram notados logo após a primeira aula.

"Geralmente, retenho muito líquido, mas percebi que saía da aula desinchada, mais fina. Até minha mãe reparou uma diferença no meu rosto. Me sentia bem, mais leve, e ficava com essa sensação durante muitas horas ao longo do dia. Você trabalha o corpo e relaxa a mente ao mesmo tempo, é uma superação a cada aula. O foco é em você o tempo todo", diz.

O autoconhecimento e a instrospecção proporcionados pela ioga, aliás, estão em perfeita sintonia com o atual momento de Daniele, que se separou recentemente do empresário Fábio Novaes. "Passei por uma fase bastante complicada, porque separação é uma coisa muito difícil, principalmente quando você tem um bebê pequenininho. É um processo doloroso mas que, como tudo na vida, você tem que ir ajustando. Ainda não me sinto uma mulher solteira. Me sinto muito mãe, acima de qualquer coisa. Estou me curtindo, aproveitando para fazer as coisas que gosto", analisa ela, que não descarta uma possível reconciliação.

"Temos uma relação ótima, fazemos programas juntos, porque isso é muito importante para o nosso filho. Ainda não sei o que vai acontecer na minha vida, temos que esperar o tempo passar. Precisamos entender o que aconteceu. Hoje, penso que nada é definitivo. Até porque sempre que abro a boca para falar "jamais", acontece o contrário".

"O calor é o diferencial"


Daniele Suzuki pratica ioga em sala a 40ºC:

Yuri Scott, professora de Bikram Yoga há três anos, explica que o calor aumenta a flexibilidade e a concentração dos alunos durante as aulas e conta que as pessoas começam a se acostumar com a temperatura alta após cinco aulas.

"Ao mesmo tempo em que o calor tira o seu conforto, ele faz com que você se concentre mais. Além disso, sem o calor, as pessoas demorariam anos para fazer certas posturas. Ele é o diferencial. Os iniciantes não precisam ficar preocupados, porque não é preciso acompanhar a aula toda. Se fizer 50%, já está bom".

Após 90 minutos de aula, uma mulher perde, em média, 900 calorias. Já os homens podem gastar até 1500. Por isso, Yuri conta que, geralmente, as pessoas que procuram a Bikram Yoga tem como objetivo a perda de peso. Mas os benefícios não param por aí. "Você trabalha 100% do seu corpo, tanto a parte aeróbica, quanto a parte de musculação, a tonicidade, a respiração, a concentração, o equilíbrio. Em 90 minutos, está tudo incluído ali. Quem vem a cinco aulas consecutivas não para mais de praticar a hot yoga. O corpo sente falta", garante.

"A ioga tem uma coisa muito generosa, que é o fato de você conseguir acompanhar a aula ao lado de uma pessoa mais experiente. Mesmo que ela ultrapasse um pouco o seu movimento, você vai um pouquinho atrás, mas faz junto e isso te incentiva. É uma aula para meninas novas, mulheres, homens, e até senhorinhas", ressalta Suzuki. Segundo Yuri, a restrição é apenas para crianças menores de 12 anos e mulheres grávidas que não praticavam a Bikram Yoga antes da gestação.

Corpo e alimentação


Daniele Suzuki pratica ioga em sala a 40ºC:

Oito quilos acima do peso - acredite se quiser! -, Daniele Suzuki conta que busca bem-estar e qualidade de vida nos esportes que pratica (além da ioga, ela surfa e faz aulas de capoeira e boxe), mas admite que a preocupação com o o corpo existe. Principalmente quando tem que encarar os paparazzi em um dia de praia.

"Quando o Kauai começou a estudar, ficava em casa esperando ele voltar do colégio. Um dia pensei: "Cara, o que eu estou fazendo aqui?". Quis voltar a fazer exercícios para colocar um biquíni sem me incomodar com o que acontece entre o momento em que eu tiro a toalha até o momento em que entro no mar. E a ioga, diferentemente do que acontece com a musculação, faz com que seu corpo permaneça definido mesmo depois de dois, três anos sem praticar. Ele fica mais alongado, e eu não gosto de mulher forte", diz a apresentadora e atriz, que engordou 18 quilos durante a gestação de Kauai.

Para passar no teste da calça jeans e voltar ao manequim 36 - atualmente, ela veste 38 mas, "dependendo do short", chega a usar 40 -, Daniele cortou o jantar e o pão, que ela, saudosa, define como sua "alegria de viver". Os chopes com as amigas também ficaram menos frequentes.

"Fui vegetariana durante cinco anos, mas fiquei muito anêmica quando engravidei e tive que voltar a comer carne. Era a vaca ou o bebê (risos). Hoje em dia, não como carne todos os dias, prefiro peixe. Quando saio à noite, tento aproveitar sem beber tanto, porque prefiro acordar bem no dia seguinte, levar meu filho à escola e vir para a ioga".


Daniele Suzuki pratica ioga em sala a 40ºC:

Daniele Suzuki pratica ioga em sala a 40ºC:

Fonte: EGO