Depilação é a nova tendência entre homens

Depilar o corpo está virando moda entre os brasileiros

Primeiro foi a Gillette que colocou em seu canal no Youtube, uma série de vídeos não só ensinando como fazer uma barba mais rente e macia, como também a depilar o corpo, em especial as partes íntimas.

Com o tema "se os arbustos estão aparados, a árvore fica mais vistosa", numa tradução livre, o filme causou comoção nos Estados Unidos, sendo criticado e zombado por muita gente. Agora é a vez da Nivea, que lança a linha de banho Active 3 e em seu site ensina os homens a raspar os pelos do corpo com lâmina, inclusive axilas e não se esquecendo dos "países baixos".

A pergunta que fica é "será que agora a nova onda são homens lisos"? Segundo Silvia Giannelli, gerente de marketing da rede de depilação à laser SkinMax, a resposta é sim, depilar o corpo está virando moda entre os brasileiros. "Aquela coisa do homem dos anos 80, peludo e urso, chegou ao fim", explica a profissional. Raimunda Freitas, esteticista e professora de depilação concorda com isso.

Ela acha que está havendo uma mudança de mentalidade na cabeça masculina e no último ano viu o número de clientes homens aumentar na ordem de 10% ao mês. Na SkinMax, por exemplo, a proporção de clientes já chega a 60% mulheres e 40% homens.

A grande maioria do público masculino que vai atrás desses serviços especializados quer se livrar geralmente dos pelos das costas, ombros e peito. Já a virilha e parte íntima são o alvo preferido do público homossexual, embora muitas mulheres estejam levando seus maridos e namorados para dar um fim definitivo nos "arbustos embaixo da árvore" mirando mais higiene e prazer na relação sexual.

Os esportistas, em especial corredores, nadadores e ciclistas, em busca dos milésimos de segundo a menos na classificação geral de seus esportes, depilam braços e pernas e alguns institutos tem até mesmo parceira com academias de ginástica. Segundo a esteticista Raimunda, mesmo alguns machos de plantão estão depilando as axilas, na vã esperança de suar menos ou deixar menos marcas na camisa.

Depois de consultar uma dermatologista, já avisamos que isso não funciona. As glândulas sudoríparas vão continuar a trabalhar a todo o vapor, com ou sem pelos, e a "pizza" vai se formar na sua roupa. O aspecto porém, ao estar sem camisa ou de regata, seguramente é outro. A idéia de se depilar, porém, divide opiniões. Mauro Suannes, controller de 41 anos não quer nem cogitar pensar no assunto.

"Eu não sou a maior prova biológica de que o homem veio do macaco, já que eu não sou muito peludo, por isso me contento com os poucos que eu tenho e que para mim são sim, sinal de masculinidade" diz ele. Alexandre Vilalba de 35 anos já tem uma opinião diversa. Segundo ele, é necessário eliminar o excesso de pelos no corpo, seja onde for, mas não depilar de vez. "Não me sentiria bem todo depilado. Não é a minha cara", afirma o publicitário.

O engenheiro Clifton Yun está mais aberto a algumas alternativas: "não me depilaria por inteiro, tipo máquina zero. Rasparia nas axilas e no peito, mas nos braços e pernas não. Faria um corte como se fosse uma ida ao barbeiro nos países baixo. As mulheres (algumas) capricham na aparagem nesta região, o que além de traduzir como um cuidado pessoal especial e higiênico, deixa bonito também".

E como as mulheres se posicionam em relação à novidade? Uma coisa é certa, nenhuma das entrevistadas gostaria de ver seu homem todo depilado, mas sim, existem casos que demandam uma atenção especial. "Se o cara tem pelos em exagero, tipo Tony Ramos, o melhor é dar uma aparada boa, e talvez até depilar, porque ai é over.

Agora, se o cara se depilar todo e acabar ficando mais liso que eu, ai acabou", diz a artista plástica Dana Vaz de 38 anos. Tony Ramos aliás, parece ser a figura mais emblemática quando esse assunto é discutido e acabou entrando também como referência para a paulistana Mariana Catto de 24 anos: "pensando em Tony Ramos eu diria que claro, ele deve aparar os pelos.

Depilar por completo? Nós mulheres, já temos esse trabalho e sabemos o quanto é chato! Imagina o rapaz comparando se a perna dele ta mais depiladinha que a sua? Eu acho estranho". Mônica Pucci de 38 anos já é mais compreensiva: "acho que foi-se o tempo em que a masculinidade do homem era julgada segundos seus hábitos de cuidado pessoal.

Particularmente não gosto de homens que depilam, acho estranho, mas se o cara se sente mal com o pulôver natural, fazer o que?". Maria Carolina, publicitária de 26 anos, concorda: "acho que cada caso é um caso. Homens "normais" não precisam se depilar, agora aparar o excesso é importante e higiênico". Em relação aos pelos pubianos, a opinião feminina é unânime: mantenha a grama cortada.

"Dar aquela aparadinha básica é essencial", afirma a empresária Lu Dalle. A produtora Maria Luíza de 44 anos também é bastante contundente em sua opinião: "acho ótimo essa nova moda de se aparar ou raspar as partes íntimas dos homens. Além de higiênico, evita certos "transtornos" na hora H" e a publicitária de 43 anos, Silvana Maria, encerra a questão: "além da visão ser melhor, dá uma sensação de coisa limpa".

Fonte: Terra, www.terra.com.br