Descoberta científica deverá revolucionar a hidratação da pele

A descoberta das "aquaporinas", estruturas responsáveis pela hidratação intracelular, trará inúmeros benefícios para saúde e beleza da pele

Segundo a vice-presidente da SBD-SP, a descoberta das "aquaporinas", estruturas responsáveis pela hidratação intracelular, trará inúmeros benefícios para saúde e beleza da pele

As indústrias dos cosméticos estão a um passo de encontrar a fórmula química capaz de combater o envelhecimento precoce da pele e mantê-la hidratada com maior durabilidade e eficiência. São produtos de beleza, em caráter experimental, que visam prolongar o desempenho das "aquaporinas", estruturas protéicas que fazem o transporte da água entre as células de vários tecidos corporais, inclusive a pele.

De acordo com a dermatologista Dra. Flávia Addor, membro e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia - Regional São Paulo (SBD-SP), o corpo humano vai perdendo a capacidade de formar as "aquaporinas" conforme o passar da idade, debilitando os órgãos do corpo e deixando a pele com um aspecto mais seco, favorecendo a evidência das rugas. Existem novos ativos em caráter experimental que prometem melhorar a hidratação do corpo, não só da camada córnea (superficial da pele) como também intracelular. A inovação está no equilíbrio das células, em levar os nutrientes necessários para a derme e manter a hidratação por muito mais tempo. "Hoje, os hidratantes não atuam na função celular, mas sim atraem e retêm água na superfície da pele", explica a dermatologista.

Outro benefício apontado pela médica é de que a descoberta pode auxiliar no tratamento de doenças como a psoríase, a dermatite de contato, a dermatite atópica e na melhora de queimaduras solares. "Doenças como essas passariam a ter um tratamento mais específico e eficiente, já que há evidencias da disfunção ou redução das "aquaporinas" nestas doenças".

Essas novas pesquisas aplicadas partiram da descoberta do médico e químico Peter Agre, que ganhou o Prêmio Nobel de Química em 2003 por esse trabalho. O médico apontou em sua pesquisa a existência de canais na pele, formados por proteínas especiais com a função de transportar e permitir a entrada e saída da água na membrana celular. Esses canais foram chamados de "aquaporinas" e foram considerados essenciais para o funcionamento do organismo, já que a pele detém 70% de água.

Na opinião da Dra. Flávia Addor, o estudo de Peter Agre elevou a um novo patamar as pesquisas para a prevenção do envelhecimento da pele. "Se encontrarmos a fórmula de aplicação ideal, aumentando a capacidade ou expressão genética das aquaporinas, conseguiremos mantê-las em funcionamento por muito mais tempo, proporcionando a preservação da integridade da pele e a aplicação de um tratamento mais imediato e preciso das doenças de pele que se agravam com o ressecamento da epiderme", afirma a dermatologista.

Importância da hidratação

A pele tem diversas funções, como proteção física contra agressões externas, perdas de água do corpo, proteção imunológica através de suas células imunes, regulação térmica com a sudorese e a vasodilatação e proteção química através da secreção sebácea e sudorípara. A médica explica que, quando a pele está ressecada e desidratada, essas funções ficam comprometidas, por isso, a pele fica mais propensa ao aparecimento de doenças, como a dermatite atópica, dermatite de contato irritativa e eczema numular.

Desse modo, para ela, a pele seca não deve ser uma preocupação apenas estética. Segundo Flávia Addor, além de doenças, a pele seca pode causar incômodos como a coceira e, quando agravada, pode gerar um eczema. "O eczema é caracterizado como uma inflamação na pele com vermelhidão. A pele pode ficar descamativa e algumas vezes com rachaduras ou pequenas bolhas", explica.

Fonte: maxpress