Acelere seu metabolismo e perca peso

O metabolismo acelera durante o treino e algumas horas depois

 Você vive fazendo dieta e nunca emagrece? A explicação para essa aparente contradição pode estar no ritmo natural do seu organismo. A boa notícia é que, a partir de pequenas mudanças de hábito, é possível dar um estímulo extra ao seu metabolismo. Com isso, fica mais fácil mandar embora aqueles quilinhos que estão sobrando.

O segredo é investir em exercícios físicos regulares, acertar na dieta, dormir bem e fazer o possível para não sucumbir ao estresse do dia a dia. O endocrinologista Marcio Mancini, médico responsável pelo Grupo de Obesidade do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP), é quem dá as dicas.

1) Tenha uma vida mais ativa Todo mundo sabe que as atividades físicas promovem um aumento no gasto energético total. Mas os benefícios de malhar vão muito além. "O exercício aeróbico acelera o metabolismo no momento do treino e mesmo depois dele, já que o músculo continua consumindo gordura por mais algumas horas, mesmo em repouso.

Já as atividades com pesos conferem o aumento da massa muscular, e esse ganho, por si só, é capaz de impactar positivamente o ritmo de funcionamento do nosso corpo", disse o especialista. Então, para obter todos esses benefícios, o ideal é alternar atividades como a caminhada e a corrida com aulas de musculação ou ginástica localizada. De qualquer forma, se conseguir acumular apenas 30 minutos de atividades todos os dias, já estará dando um empurrãozinho ao seu metabolismo.

2) Aposte numa alimentação balanceada - com direito a carboidratos Para perder peso de forma gradativa e definitiva, só mesmo adotando uma dieta que combina todos os tipos de nutrientes necessários ao bom funcionamento do organismo. O segredo é acertar nas porções.

Mas fique atenta: optar por uma dieta restritiva demais ¿ com menos de 1,2 mil calorias por dia - pode ser tão prejudicial ao seu regime quanto exagerar na comida. "Quando consumimos menos calorias do que precisamos, o metabolismo passa a funcionar de modo mais lento, com o objetivo de poupar energia para as atividades essenciais à manutenção da vida.

Só que, dessa forma, também freamos o gasto de calorias. Ou seja, fica mais difícil emagrecer e mais fácil recuperar o que se perdeu rapidamente", afirmou o endocrinologista. Pior ainda é apostar em regimes que sugerem cortar por completo o consumo de carboidratos. Isso porque o grupo de alimentos funciona como uma espécie de combustível, emprestando ao corpo a energia necessária para decompor e metabolizar as gorduras. Além disso, sem nenhum tipo de carboidrato, também nos falta ânimo pra tudo, inclusive para malhar. Então, a melhor pedida é optar pelas massas e pães feitos de grãos integrais e pelas fontes de carboidrato de origem vegetal - legumes, frutas e verduras.

3) Durma bem Passar oito horas por noite na cama é impossível para você? Pois tente repousar pelo maior tempo possível, se quiser manter todo o organismo - incluindo as funções metabólicas - funcionando com 100% de sua capacidade. "Um ritmo alterado de sono pode levar à síntese inadequada do hormônio do crescimento, favorecendo o acúmulo de gorduras e inibindo a formação de massa muscular."

4) Coma menos, mas mais vezes ao dia Sempre que fazemos um jejum prolongado, o corpo entende que precisa armazenar energia e, assim, passa a funcionar mais lentamente. Como consequência, os depósitos de gordura e as calorias também começam a ser queimados devagar. Pior: para garantir a energia de que precisa, o corpo pode começar a consumir sua própria massa muscular. Para fugir dessa ameaça, o ideal é fazer seis refeições ao dia, preferencialmente em horários regulares.

5) Controle o estresse Se é impossível livrar-se completamente desse vilão, tente ao menos minimizá-lo, investindo em atividades físicas e de lazer. "O estresse faz disparar o nível de cortisol na corrente sanguínea, um hormônio que aumenta a fome, favorece o acúmulo de gordura e interfere na ação da insulina, provocando ganho de peso", disse o especialista.

Fonte: Terra, www.terra.com.br