Drapeados abrem temporada de alta costura

O estilista mineiro Gustavo Lins trabalhou a silhueta em drapeados insinuados, o que conferiu volume e leveza às peças



O primeiro dia da temporada inverno de alta costura em Paris foi bem eclética e trouxe desde coleções minimalistas até roupas inspiradas em flores.

O estilista mineiro Gustavo Lins trabalhou a silhueta em drapeados insinuados, o que conferiu volume e leveza às peças, mesmo quando feitas de couro ou de pele. A referência ao quimono, que é a base de todo seu trabalho de criação, foi mantida nas peças com comprimentos abaixo do joelho com amarrações laterais ou assimetrias. O resultado é um trabalho atemporal que traz referências de diversas décadas, como as de 30, 40 e 50. Ao contrário da coleção verão, na qual predominou o preto, agora, o tom ganha a companhia do branco, cinza e de tonalidades cítricas.

A coleção da Maison Christian Dior foi inspirada nas flores e transformou a passarela da marca em um jardim. Começando pela decoração do ambiente, com grandes tulipas laranjas, passando pelas modelos que mostraram peças com volumes, drapeados, sobreposições, detalhes que vinha como pétalas que saiam da cintura.

A ex-diretora da Christian Lacroix e da equipe de estilo da Balenciaga, Bouchra Jarrar mostrou roupas com delicados grafismos para nortearam os recortes e formas das silhuetas das peças minimalistas. A maioria dos looks é discreto e bem-comportado, com algumas exceções como os vestidos com decotes tipo V bem profundos. As cores usadas pela estilista foram preto, creme e ezul-marinho.

A Semana de Moda de Alta Costura acontece até quinta-feira na capital francesa.

Fonte: Terra