Gordinhas sim! Brasileiras disputam o título de Miss Universo plus size 2013

As cariocas Renata Cassela e Ana Paula Holanda e a catarinense Shirlei Mel são, atualmente, as representantes do Brasil no Miss Ronde Universe.

Elas têm entre 1,68m e 1,80m de altura, pesam entre 98kg e 105kg, e estão disputando o título de Miss Universo. Só que o concurso em questão é ambientado no mundo plus size, cada vez mais em voga quando os assuntos são moda e beleza feminina. As cariocas Renata Cassela e Ana Paula Holanda e a catarinense Shirlei Mel são, atualmente, as representantes do Brasil no Miss Ronde Universe.


Duas cariocas e uma catarinense disputam  Miss Universo plus size

Duas cariocas e uma catarinense disputam  Miss Universo plus size

Duas cariocas e uma catarinense disputam  Miss Universo plus size

O concurso francês, que elege desde 1998 a mais bela gordinha do mundo, conta com uma comissão julgadora composta por membros de países como a própria França, Suíça, Peru, Estados Unidos e Venezuela. No próximo dia 29, uma das três será eleita única brasileira na disputa que irá concorrer com outras 12 candidatas de diferentes países ao título. A grande vencedora será anunciada no dia 6 de maio.

Aos 34 anos, 98kg e 1,68m de altura, Renata Cassela é modelo da agência G + Models e ficou em 3º lugar no Miss Plus Size Carioca 2012. Foi incrita no concurso por uma amiga e, além da coroa do 1º lugar, está de olho em publicidade e num contrato com alguma agência da França.

- Não falo francês, mas sei que posso representar o meu país direitinho. Tenho a cor de pele morena da nativa brasileira, cabelos e olhos pretos ao natural... - enumera ela, que posou para fotos caracterizada de índia numa das etapas a serem cumpridas para o concurso internacional: - Temos que escolher nove tarefas para cumprir. Uma delas é o body paint (pintura corporal), e determinei essa temática. Não sei por que as pessoas se espantaram e criticaram tanto. Existem índias gordas, sim!

Renata foi clicada em meio à natureza de Penedo, cidade da região Sul do estado do Rio, pela fotógrafa Bia Pias, de 33 anos. A candidata conta que custou a encontrar um profissional com olhar diferenciado, que estivesse a fim de realizar um trabalho tão específico.

- Tenho um projeto profissional chamado Divas Photography, cujo conceito é fazer com que mulheres normais e com a autoestima baixa se sintam verdadeiras rainhas quando fotografadas com produção. Achei que a proposta da Renata tinha tudo a ver com essa ideia, e topei a aventura. Além do ensaio indígena, fizemos um outro, inspirado em Hilda, a única pin up gordinha da história. O resultado ficou belíssimo! - orgulha-se Bia, também uma ex-gordinha: - Pesava 105kg e eliminei 36kg com reeducação alimentar. Sei como é difícil estar acima do peso, e minha maior alegria é promover a cura da alma feminina através da bela imagem.

Famosa no universo plus size por alimentar um blog com dicas de moda, Ana Paula Holanda, de 32 anos, 1,70m e 100kg, é a única das três candidatas brasileiras que nunca foi miss. Também inscrita na disputa por uma amiga, está correndo contra o tempo para conseguir cumprir as etapas determinadas e ganhar pontos. Reproduzir fotos de editoriais de marcas famosas, feitas originalmente com mulheres magras, e divulgar o nome do concurso em fotos e redes sociais são duas delas. Criatividade e fotogenia são quesitos avaliados pelo júri.

- Tenho feito tudo com câmera digital caseira, não imaginei que a coisa fosse tão profissional. Minha intenção é divulgar o meu trabalho com moda plus size. E não vejo como uma competição. Só de estar junto com essas meninas no evento já considero uma vitória pelo nosso ideal, que é ser feliz do jeito que a gente é.

Se for pela fama das sulistas de serem as mulheres mais bonitas do Brasil, a professora de matemática Shirlei Mel, de 35 anos, 1,80m e 105kg, já saiu na frente. Moradora de Blumenau (SC), ela também atua no mercado de modelos plus size em sua cidade, tendo sido eleita Miss Plus Size Santa Catarina em 2012. No concurso nacional, ficou entre as dez mais bonitas.

- Sempre me amei do jeito que sou, com todas as estrias, celulites, gordurinhas e, agora, ruguinhas. Minha missão nesse segmento vai além de modelar. Há muitas modelos plus size que estão na profissão e não se gostam. Procuro transmitir meu amor e meu respeito pelo meu corpo para as outras mulheres, que estejam desmotivadas com os seus - filosofa ela, que aposta no seu carisma para vencer a parada: - Boto fé no meu sorriso e na minha espontaneidade.

Fonte: Extra