Especialistas ensinam truques para conquistar a famosa "barriga negativa"

Combinação entre alimentação saudável, exercícios físicos e tratamentos estéticos não invasivos é o caminho para atingir o objetivo.

Com o início do verão cada vez mais próximo, começa a corrida para eliminar os excessos adquiridos com a comilança do inverno e chegar à estação mais quente do ano com o físico impecável. É normal, portanto, que, nessa época, academias e clínicas de estética lotem de pessoas preocupadas em eliminar os famosos "pneuzinhos". O sonho de toda essa gente? Conquistar a tão sonhada "barriga negativa".

Só que nada de bom vem de graça e, por isso, é preciso acertar na alimentação e suar a camisa na academia para atingir o objetivo. Segundo a nutricionista Fernanda Granja, o primeiro passo é eliminar os alimentos que contribuem para o inchaço, como leite e derivados, glúten, bebidas alcoólicas e refrigerantes. Feijão, frituras, queijo, pão, embutidos, como queijo e presunto, e sal em excesso também devem ser cortados.

"À noite, o organismo faz a lipólise, que é a quebra de gordura para gerar energia. Se comermos muito, principalmente alimentos com alto valor calórico e pobres em nutrientes, esse processo não ocorre e o organismo acaba reservando a energia ao invés de queimá-la. Por isso, o ideal é fazer a última refeição até três horas antes de dormir", explica a especialista.

Já na lista dos alimentos benéficos estão os óleos de linhaça e coco, quinua, gergelim, sementes de girassol e chocolate amargo, que possuem ômegas e minerais que contribuem na queima da gordura corporal. "O azeite de oliva extra virgem, rico em ômega-9, atua na regulação da produção de cortisol, um dos hormônios responsáveis pela armazenagem de gordura na região abdominal", diz ela.

Acertou na comida? O próximo passo é focar nos exercícios. De acordo com o educador físico Eduardo Bortoletto, os exercícios para a região abdominal ajudam a criar força e massa magra e, com a combinação de aeróbicos, há um gasto calórico maior. "Para o iniciante, utiliza-se de duas a três séries de abdominais com 15 a 20 repetições. Já para o intermediário e avançado, há variações nos abdominais, intensidade e volume aplicando quatro séries de 15 a 20 repetições com modelos diferentes em cada dia de treino?, ensina.

Além da alimentação e dos exercícios, o dermatologista Otávio Macedo explica que, em alguns casos, é preciso apostar em tratamentos para perda de gordura localizada. "Entre os métodos não invasivos, indico a criolipólise, que elimina as células de gordura a partir do resfriamento controlado e que reduz, em média, 20 a 25% dos "pneuzinhos" na região tratada", diz ele.

Segundo o dermatologista, outra opção é associar a radiofrequência e a ativação muscular dinâmica, que utiliza ondas de calor que aceleram o metabolismo, estimulando a perda por meio do sistema linfático, e promove a contração muscular, melhorando a flacidez cutânea e muscular. O médico, no entanto, faz uma ressalva: "Qualquer tratamento indicado para gordura localizada sempre tem melhores resultados se o paciente for orientado e seguir dieta e hábitos de vida saudáveis".


Especialistas ensinam truques para conquistar a famosa

Especialistas ensinam truques para conquistar a famosa

Fonte: EGO