Fabricantes de biquínis se unem para "invadir" praias estrangeiras

As empresas trabalham juntas para divulgar as marcas no exterior.

Os biquínis brasileiros estão em busca de um lugar ao sol fora do país. Para dar um empurrãozinho, 18 fabricantes se uniram em um projeto chamado "+Beach Brasil" para aumentar as exportações das grifes nacionais de moda praia. As empresas trabalham juntas para divulgar as marcas no exterior.

"Entre 2009 e 2011, houve um aumento de 43% nas exportações da moda praia brasileira. Com esse projeto teremos ainda mais força para trabalhar no mercado internacional", afirma o presidente da Abest (Associação Brasileira de Estilistas), Valdemar Iodice.

Segundo a entidade, projetos, pesquisas e participação em eventos internacionais fazem com que os associados tenham mais destaque na competição pelo mercado externo.

Os principais mercados são Estados Unidos, França, Portugal, Espanha, México e Japão. Maiôs e biquínis femininos de malha e de fibras sintéticas são as peças mais exportadas.

A moda praia brasileira sempre fez sucesso no mercado externo pela variedade de cores, estampas, matérias-primas e ?DNA próprio?, segundo a associação.

No total, 18 marcas fazem parte do projeto: Água de Coco por Liana Thomaz, Amir Slama, ANK Swimwear, Brigitte, Cia. Marítima, Cecília Prado Mare, Clube Bossa, Dalai Beachwear, Jo de Mer, Larissa Minatto, Lenny, Poko Pano, Salinas, Sol de Janeiro, Skinbiquini, Treza, Triya e Vix Swimwear.

"O objetivo é criar uma identidade no exterior, aumentar as exportações e fixar a imagem das grifes nacionais", afirma ele.

Neste mês, a associação participa de dois eventos em Miami (EUA): o Mercedes-Benz Fashion Week Swim, o evento mais famoso de moda praia americano, que acontece de 19 a 23 de julho; e a feira de negócios Swim Show --que completa 30 anos nesta edição--, realizada de 20 a 24 de julho.

Fonte: UOL