""Fui pressionada a fazer lipo quando entrei no É o Tchan"", diz Sheila

""Fui pressionada a fazer lipo quando entrei no É o Tchan"", diz Sheila

A “pressão” sofrida na época – que a fez também implantar próteses de silicone nos seios -

Passados dez anos da sua primeira aparição pública, como dançarina do grupo ?É o Tchan?, Sheilla Mello lembra os sacrifícios que fez para entrar no universo da fama. ?Fui pressionada a fazer lipo quando entrei no É o Tchan?, recorda, aos 32 anos. ?Hoje não faria mais, tenho outra cabeça. Foi uma decisão precoce, porque até então, como não malhava, não sabia que podia definir o corpo com atividade física!?, justifica, durante tratamento com infravermelho, em clínica de São Paulo, para prevenir a flacidez da pele, na tarde desta terça-feira, 19.

A ?pressão? sofrida na época ? que a fez também implantar próteses de silicone nos seios -, segundo ela, vinha de ?todos os lados?. ?Eu estava no foco, substituindo Carla Perez, dançando com Scheila Carvalho. O grupo era famoso, o empresário dizia que eu precisava aumentar a coxa...ao mesmo tempo não tinha tempo, por causa dos shows?, detalha. ?Eu pesava sete quilos a menos do que hoje, e malhava de madrugada como louca. Tive que fazer cirurgia no joelho, devido ao excesso de atividade?, completa, mostrando cicatriz na perna esquerda.

As loucuras para ter um corpo em dia também decaíram sobre a alimentação da loira, antes mesmo de entrar no grupo de axé. ?Uma vez soube de uma dieta da cebola, e só comia isso! Depois ingeria limão em jejum. Mas tinha enjôos e irritação no estômago, devido a uma leve gastrite?, conta ela, que atualmente equilibra a alimentação, freqüenta academia, pratica dança e sessões de tratamento estético. ?Você tem que entender que precisa equilibrar tudo isso para o seu próprio bem-estar?, ensina.

Sheila, porém, se sente gratificada por tudo o que viveu. ?Foi uma fase maravilhosa (com o grupo É o Tchan). Uma vez choramos no palco, em show na Angola, quando, mesmo em meio à guerra, conseguimos contagiar o público com nossa alegria?, recorda, desejando que as novas integrantes da banda passem pelas mesmas situações positivas. ?Só fico com um pouco de inveja delas porque é um grupo que te traz muita alegria?, brincou.

A atriz diz que toparia fazer uma participação especial com a banda, caso fosse convidada. ?Sei que agora o momento é delas. Mas uma participação eu faria?, declara, explicando que quer se dedicar à sua carreira de atriz. ?Tudo tem sua hora. Eu saí no momento certo, quando tinha conquistado o que queria. Eu tinha 19 anos quando entrei no grupo, morava na periferia de São Paulo. Conheci meus ídolos de infância, fiquei famosa, ganhei dinheiro?.

Sempre acompanhada do marido, o ex-nadador Fernado Scherer, o Xuxa, com quem se casou em junho, Sheila se dedica hoje ao teatro e ao casamento. "Chegou uma hora que eu não tinha mais objetivo na vida. Tinha fama, dinheiro, o que sempre quis. Mas quem se ilude só com isso não conquista um lugar legal na vida, no mundo", diz.

Síndrome do Pânico

O lado psicológico da loira ficou tão afetado que, mesmo depois de sair do grupo, em 2007, ela ainda teve dificuldade de fazer planos. "Perdi meu pai, minha avó. Cheguei a ter síndorme do pânico na escola de teatro, quando ia me apresentar para apenas dez pessoas", diz. "Mas você tem que parar, pensar, se tranquilizar", aconselha. Foi então que ela fez várias peças de teatro, participação em filmes e em programa de reality show, onde conheceu o "amor da sua vida", como fala.

"Fernando me conquistou com seu jeito amoroso. Somos muito parecidos. Não na nossa origem, pois viemos de classes sociais bem diferentes, mas nos encontramos na mesma fase espiritual, com a mesma vontade de constituir uma família", derrete-se ela ao lado do marido, que acompanhou a sessão de tratamento estético. "Já faço há tempo este tipo de procedimento, para prevenir a flacidez" disse ela, na clínica Vísia.





Fonte: Ego, www.ego.com.br