Lojas populares ganham espaço no mundo da moda

Redes oferecem às consumidoras produtos similares aos de grife, mas que custam pouco

À primeira vista, alguns modelos de sapatos parecem pesar no orçamento, mas com um pouco de pesquisa é possível encontrar no mercado produtos similares aos das grandes grifes a preços mais acessíveis. O chinelo de plástico da Petite Jolie, por exemplo, custa apenas R$ 19,90, bem mais em conta do que um modelo semelhante da Melissa, ícone do produto, que sai por R$ 50.

Os calçados são realmente parecidos, mas os detalhes de acabamento fazem a diferença. Ousados, com ?preço de calçado popular e visual mais caro?, como define Tatiane Cristófoli, gerente da Petite Jolie, a empresa está conquistando seu público.

- Pensamos que íamos concorrer com Grendene e Xuxa, mas os próprios clientes associam à Melissa.

E não é à toa. De plástico, coloridos, com detalhes de todos os tipos (flores, laços, pedras), os modelos da marca vão do escarpim ao chinelo rasteirinha. Assim como a Melissa.

A Petite Jolie ainda é nova no mercado: foi lançada em julho do ano passado, mas já está em 600 pontos de venda. O objetivo é chegar a 2.400 até o final de 2010, conta Tatiane.

A Petite Jolie fabrica 46 modelos, e os preços variam entre R$ 19,90 e R$ 54,90 quando leva o nome da marca. No entanto, a consumidora pode estar usando um desses sapatos sem saber, já que a empresa vende seus produtos com outras etiquetas. Na Doc Dog, por exemplo, o mesmo chinelo custa R$ 59,90.

Outros clientes da fábrica são a rede de supermercados G. Barbosa, a loja Paketá e a Lilica Ripilica.

Mas a Petite Jolie não é a única marca popular a se inspirar em modelos de lojas caras ? afinal, são elas que definem o que vai estar nas vitrines.

Picadilly e Via Marte trazem em suas coleções de inverno ideias apresentadas pelas grandes marcas nos desfiles de moda. Um dos resultados é que as empresas também vão lançar as ?super botas?, praticamente até o joelho.

Um dos modelos da Via Marte tem salto de dez centímetros e o preço recomendado ao lojista é de R$ 169. Na Planet, marca que só produz sapatos exclusivos, sai por R$ 499; a Schutz (linha chic da Arezzo), tem uma, em preto ou cinza, por R$ 570.

A super exclusiva da marca Satryani é a que mais chama atenção. Gigante e fabricada de tecido, o efeito é de uma meia-calça ? vai quase até a cintura -, mas serão poucas as consumidoras a pagar R$ 790.

Na Picadilly as botas não são tão compridas, mas custam R$ 70, assim como os escarpins.

Fonte: R7, www.r7.com